Algoz do Boca pelo Inter, Alex espera repetir dose: 'Sensação diferente'

    O Corinthians tem um trunfo para encarar o Boca Juniors na final da Taça Libertadores da América: Alex. Jogando pelo Internacional, o meia já encarou três vezes o clube argentino e não perdeu nenhuma. Mais do que isso. Ele venceu todos os jogos contra os hermanos – um pela Copa Sul-Americana de 2005 e dois pela de 2008.

    Decisivo nos últimos jogos do Timão, com passes que resultaram em bolas na rede, ele marcou gols em duas daquelas partidas contra o Boca. Um deles foi no palco da primeira partida da final da Libertadores deste ano – Corinthians e Boca iniciam o confronto pelo título no dia 27, na Bombonera. Em 2008, pelo Colorado, Alex marcou um dos gols da vitória por 2 a 1 no estádio argentino. O meia recebeu dentro da área e deu um belo corte no goleiro antes de completar o gol. O lance, segundo ele, mudou sua carreira.

    – É uma sensação diferente. Em Porto Alegre a gente ganhou por 2 a 0 e eu fiz os dois. Na Bomboneira eu fiz mais um na vitória por 2 a 1. Foi algo que me deu uma credibilidade. Fui decisivo contra o Boca. Naturalmente, aquilo deu uma importância um pouco maior – diz Alex. – Em todo jogo importante com grandes equipes o peso é maior. O reconhecimento fica maior também. Natural.

    Alex não marca pelo Corinthians desde o jogo contra o Emelec, nas oitavas de final da Taça Libertadores. O Timão venceu a partida por 3 a 0, e ele fez o primeiro gol. Contra o Santos, no empate em 1 a 1 que rendeu a vaga à decisão, ele quase marcou em cobrança de falta. Rafael buscou no ângulo.

    – Tomara que saia um gol na final. No Inter tive a felicidade de fazer. Foi em 2008. Antes eram mais o Fernandão e o Rafael Sóbis que faziam os gols, e eu participava com passes – recorda. – Independentemente de quem fizer o gol, estaremos alcançando nosso objetivo.

    Esta é a décima participação do Corinthians na Libertadores. Com a final, o Timão conquista o seu melhor resultado. Até então, o mais longe que o Timão havia alcançado foi a semifinal de 2000, quando o time saiu derrotado pelo rival Palmeiras nas cobranças de pênaltis.

    – Todo mundo que está no time hoje já entrou para a história do Corinthians. Quem fizer o gol do título vai ser muito festejado. Mas ao mesmo tempo acho que independe do resultado final para colocar o nome. O conjunto todo vai ser premiado igualmente.

    A primeira partida da decisão será no dia 27, na Bomboneira. O jogo decisivo será uma semana depois, dia 4 de julho, no Pacaembu.

    Reportagem: Globo Esporte

    Veja Também

    Notícias do Corinthians
    Notícias do Corinthians