Jair Ventura - Roger

    Após sucesso no Botafogo, dupla se reencontra no Corinthians

    O técnico Jair Ventura começará a trabalhar nesta sexta-feira no Corinthians e reencontrará o centroavante Roger. A dupla teve sucesso no Botafogo em 2017, antes de o treinador ir para o Santos e o jogador partir para o Internacional.

    Sob o comando de Jair, Roger viveu uma das melhores fases da carreira. Tornou-se referência no Botafogo e foi o artilheiro da equipe em 2017, com 17 gols, mesmo tendo passado por uma cirurgia para a retirada de um tumor em outubro daquele ano.

    Antes da semifinal da Copa do Brasil em 2017, Roger fez diversos elogios a Jair. No Botafogo, porém, a dupla não conseguiu conquistar títulos, mas terá pela frente novamente o Flamengo pela semi da Copa do Brasil.

    – Acho que ele já virou referência e realidade. É um cara jovem e muito bom. Tem muita coisa para evoluir ainda. Vemos o pessoal dos 50 anos, Mancini, Cuca, Renato Gaúcho… São vitoriosos. Daqui a uns anos vou estagiar com ele (risos). Está colhendo o que plantou. Estudou futebol, ficou anos na base, respeitou. Ele merece tudo isso. É realidade. Não dá para falar o que vai acontecer. Dito pelo Tite entre os melhores, não por mim. Quero muito ganhar algo com ele – disse Roger, na ocasião, em entrevista ao LANCE!.

    No Corinthians, Roger ainda não conseguiu repetir a boa fase do Botafogo. Ele disputou até agora 18 jogos e marcou quatro gols.

    Outros reencontros

    No Corinthians, Jair também reencontrará o volante Gabriel. No Botafogo, o hoje treinador era auxiliar quando o volante se destacou antes de transferir-se para o Palmeiras.

    Jair ainda esteve no Botafogo quando Eduardo Barroca era técnico do sub-20, função que exerce atualmente no Corinthians. Barroca, inclusive, era visto no clube carioca como futuro treinador da equipe principal. Os dois tornaram-se amigos, como revelou Barroca em entrevista ao LANCE! no fim do ano passado 2017.

    – Todo esse processo que aconteceu com o Jair é um grande espelho para mim. O engraçado é que em 2011 eu era auxiliar técnico do Bahia e o Jair foi em Salvador assistir a um jogo do Vitória como auxiliar do Botafogo. Começamos ali uma amizade que perdura até hoje. Fomos auxiliares dos mesmos treinadores (Joel Santana, Renê Simões, Caio Junior…). Temos uma história parecida, com passagens em seleções de base também – disse Barroca.

    Veja Também