Atletas do Corinthians entram no acordo com a Hyundai

    Esperar o término da participação da equipe no Paulistão, que colocará fim ao contrato com a Hypermarcas, não é o único entrave para que Corinthians e Hyundai oficializem o acordo costurado nos bastidores. Detalhes contratuais também separam anúncio da parceria.

    Um deles é a aceitação dos jogadores quanto à utilização obrigatória de carros da marca sul-coreana. Pelo pré-acordo firmado entre as partes, Julio Cesar, Liedson, Chicão & Cia. ganharão dois veículos (a escolher), modelos sport e perua, que serão emprestados pela nova patrocinadora.

    Após um ano, aqueles que desejarem comprá-los terão condições especiais. Quem não quiser adquiri-lo, terá seus modelos antigos trocados por novos, mas sempre com a obrigatoriedade de utilização dos mesmos, principalmente, nas idas ao CT.

    E aí que está o entrave. Como os contratos estão em vigência, os jogadores terão de ser convencidos a trocarem seus atuais carros por modelos do novo patrocinador. O clube acredita que, se alguns quiserem ganhar dinheiro para serem “patrocinados” pelas ruas de São Paulo, a Hyundai deverá chamá-los para conversar. A montadora sul-coreana pensa que esse convencimento, com dinheiro ou não, é de responsabilidade do clube, que tem vínculo.

    Vale lembrar que os jogadores que têm contrato de imagem com o clube já são obrigados a participar de ações coletivas. No caso do Timão, o universo de atletas nessa condição não é tão grande assim.

    “Com jogadores novos, é fácil. Você põe essa obrigação no contrato e pronto. Mas, com quem já está lá, será preciso conversar e chegar a um acordo”, afirmou uma das pessoas que garantem ter ouvido do presidente Mário Gobbi o valor de R$ 50 mi por ano, noticiado pelo “Diário de S. Paulo” no dia 26.

    Se for nesse valor, o acerto com a Hyundai garante ao Corinthians, pelo quinto ano consecutivo, o maior patrocínio de camisas do futebol brasileiro. Vale lembrar que a escola de idiomas Fisk já tem acordo até o fim do ano pela barra da camisa, por R$ 9 milhões. Ou seja, caso não haja reviravolta no acordo com a Hyundai, o clube teria uma arrecadação de R$ 59 mi em 2012.

    Reportagem: Lance!

    Veja Também