Bastidores: Timão espera resposta da Conmebol sobre Sheik e Mendoza

    O Corinthians aguarda nesta segunda-feira uma posição da Conmebol sobre os casos dos atacantes Emerson e Mendoza.

    Denunciados pelo comitê disciplinar após as expulsões contra o São Paulo, na fase de grupos da Libertadores, os jogadores podem pegar de três a seis partidas de suspensão. O Timão, porém, vem usando a política para tentar uma manobra.

    Em visita à entidade na semana passada, antes de enfrentar o Guaraní, em Assunção, dirigentes corintianos solicitaram que a decisão fosse adiada para depois do jogo da volta, marcado para essa quarta, em Itaquera.

    Ou seja, como Sheik e Mendoza cumpriram a punição automática, eles estariam liberados para o confronto que decide a vida do Timão no torneio.

    O clima na diretoria e na comissão técnica é de apreensão em virtude da maneira pouco transparente que a Conmebol aplica suas penas. O clube usa como exemplo o cartão vermelho recebido por Paolo Guerrero, contra o Once Caldas, após acertar uma cotovelada em um adversário. O Corinthians foi apenas comunicado da suspensão de três partidas e sequer teve autorização para enviar a defesa.

    “É o grande ponto de interrogação: pode ser, pode não ser, e não tem resposta específica”, disse o técnico Tite.

    Emerson e Mendoza foram enquadrados em “conduta violenta”, com uma variação da pena de três a seis partidas. Na defesa enviada à entidade por escrito, o advogado do Corinthians, João Zanforlin, tentou desqualificá-los para “atitude antidesportiva”, o que diminuiria a punição para apenas um jogo.

    O Timão acredita que a súmula da partida pode ser o grande problema para livrar os jogadores de um gancho mais pesado. Na visão do clube, os termos utilizados pelo árbitro Sandro Meira Ricci não condizem com o que realmente aconteceu em campo. O juiz colocou no relatório que Emerson chutou o adversário (Rafael Toloi) fora do lance e que Mendoza tentou agredir Luis Fabiano usando força excessiva.

    Quem quebra a cabeça com isso é Tite. Além da dúvida sobre os dois jogadores, ele já perdeu Luciano. O atacante foi titular no Paraguai, mas sofreu uma lesão muscular na coxa direita e está fora. Com isso, Malcom desponta como o principal candidato à vaga. Vagner Love, pouco habituado a atuar aberto pelo lado esquerdo, e Romero, autor do gol da vitória sobre o Cruzeiro, possuem menos chances.

    Com a derrota no Paraguai, o Corinthians precisará vencer por três gols de diferença em Itaquera, quarta-feira que vem, na arena. Se devolver os 2 a 0 leva a disputa para os pênaltis. Um placar de 3 a 1 (ou 4 a 2, 5 a 3…) classificaria os paraguaios, pelo critério de gols fora de casa. Quem passar, pega Montevideo Wanderers, do Uruguai, ou Racing, da Argentina.

    Veja Também