Capitão no Santos e reserva no Timão, Dracena garante: ‘Vaidade não existe’

    O zagueiro Edu Dracena foi tricampeão paulista, ganhou a Copa do Brasil, a Taça Libertadores e entrou para a história como capitão do Santos. Nove meses depois de deixar o Peixe, a situação é outra no Corinthians. Reserva em boa parte da temporada, o zagueiro garante que deixa a vaidade de lado para pensar exclusivamente no sucesso da equipe com o título do Campeonato Brasileiro.

    “Todo mundo quer jogar, todo mundo tem suas ambições. Algumas pessoas têm o dom de lidar com o grupo. O que estraga é a vaidade. Quando você deixa a vaidade de lado e foca em ajudar… Não estou jogando, mas estou ajudando. É um ciclo, entre nós há respeito”, afirmou.

    Depois de romper seu contrato com o Santos, Dracena chegou ao Corinthians com a missão de substituir Anderson Martins e formar dupla com Gil. No entanto, encontrou Felipe pela frente. O jovem zagueiro, antes muito criticado pela torcida, passou a atuar em alto nível e ganhou a confiança do técnico Tite.

    Dracena viu a condição mudar com a instabilidade de Felipe na eliminação do Corinthians na Taça Libertadores, mas não conseguiu se segurar por muito tempo na posição. Após falhar justamente contra o Santos, na Vila Belmiro, pelo Brasileirão, o zagueiro de 33 anos voltou para o banco de reservas. Até agora, ele vestiu a camisa do Timão 30 vezes.

    – Todo mundo quer jogar, mas tenho de respeitar o comandante e meu companheiro de profissão. Isso faz um grupo forte – disse.

    Com Felipe suspenso pelo terceiro cartão amarelo, Edu Dracena ganhará uma nova chance contra o Goiás, nesta quinta-feira, às 19h30, em Itaquera.

    Veja Também

    Notícias do Corinthians