Cássio revela “técnica infalível” que usou para fazer jogador da Ponte desperdiçar pênalti

    O goleiro Cássio conseguiu ser um dos principais atores da vitória corintiana por 2 a 0 sobre a Ponte Preta, na noite deste sábado (8 de julho), em Itaquera, ao pegar um pênalti batido por Lucca na metade do segundo tempo, impedindo que o adversário reagisse na partida. Contente pela segunda defesa consecutiva, em situação semelhante à da intervenção contra o Grêmio, na penalidade batida por Luan, o arqueiro celebrou o longo período entre a marcação da falta e a batida, que lhe deu tempo até de provocar o antigo companheiro.

    “Eu vi que ele estava com a bola e falei: ‘Hum, é você que vai bater?’”, relembrou, aos risos, o arqueiro. “Te conheço, hein”, disse ele ao avante, antes de esperar o último momento para saltar no seu canto direito e fazer a defesa, sem cair nas “paradinhas” tentadas pelo adversário. “Fiquei olhando para o Walter, o Mauri (preparador de goleiros), não sabia onde ele bateria. Aí o Jadson veio e disse que o Mauri pediu para esperar. Foi o que eu fiz”, revelou.

    “Tenho muito respeito pelo Lucca, consegui ir bem e fazer a defesa. Acho que o que tive de maior mérito foi esperar até o último momento na hora de pular, sem me mexer. Consegui me manter em pé e tive a força para fazer a defesa”, relembrou o camisa 12, que não sofre gols no Campeonato Brasileiro desde o clássico contra o São Paulo, na sexta rodada.

    Saiba mais:

    Guerrero tem 3 propostas

    Barça quer palmeirense já

    Juve acerta com brasileiro

    Cobrado seguidas vezes para pegar mais pênaltis no Alvinegro, o arqueiro viu as reclamações atingirem o ápice na derrota para o Internacional, pela quarta fase da Copa do Brasil. Naquela ocasião. Apesar de fazer uma defesa, viu adversários o deixarem no chão ao esperarem até o último momento para definir o canto.

    “Acho que esse é o meu maior mérito, esperar até o último momento, aproveitar o meu tamanho. Nesse jogo contra o Inter teve dois jogadores que andaram lentamente para a bola, mas eu talvez tenha me mexido um pouco antes e aí facilitou para eles. Agora tenho esperado até o fim”, disse o corintiano, exaltando a entrega de toda a equipe.

    “Não tem segredo, às vezes pega, às vezes toma, já tomei vários pênaltis, mas a gente sempre quer pegar. Tem que ressaltar a entrega do time, sabemos que um dia vamos perder, mas já estamos há muito tempo sem isso. Estou tentando ajudar e o que eu puder fazer, eu vou fazer”, concluiu.

    Veja Também