Com ataque em baixa, histórico de Danilo em semifinais vira arma

    O ataque se transformou na grande dor de cabeça de Tite em 2012. Nos últimos seis jogos, nenhum jogador do setor balançou as redes, dado que preocupa o treinador para as semifinais da Taça Libertadores, contra o Santos. A solução pode estar nos pés de Danilo. O meio-campista já provou em outras edições que pode ser decisivo nesta fase da mais importante competição sul-americana.

    Atuando pelo São Paulo, o maestro se destacou justamente em semifinais. Em 2004, a primeira final de Libertadores quase veio. Ele fez o gol que classificava a equipe para a decisão, mas uma falha de marcação da defesa fez com que o Once Caldas chegasse a 2 a 1 no placar, na Colômbia, e ficasse com a vaga.

    Um ano depois, Danilo foi decisivo para que o São Paulo conquistasse o tricampeonato do torneio. O armador teve grandes atuações e marcou duas vezes nas vitórias sobre o River Plate por 2 a 0, no Morumbi, e 3 a 2, em Buenos Aires. Na final, o Tricolor passou sem grandes sustos pelo Atlético-PR e ficou com a taça.

    – Sempre fui abençoado nos momentos decisivos. Espero que possa ser de novo. Sabemos que é uma outra história, um outro momento, mas lógico que é bom ter isso no passado. Vamos precisar correr muito para superar o Santos. Vou dar meu máximo – disse.

    O armador vem sendo um dos destaques do Timão na edição de 2012. Ele é o artilheiro do clube com três gols, ao lado de Paulinho e Jorge Henrique. Na última partida, diante do Vasco, chegou a ser colocado mais avançado, como um centroavante, já que Tite optou por não escalar nenhum homem de referência.

    – Estamos jogando sem um homem fixo na área. É importante ter esse rodízio na frente, sempre com movimentação para sair da marcação. Nosso time está sendo bem marcado individualmente. Então, precisamos nos movimentar para confundir o adversário.

    Danilo acredita que o histórico pode ser favorável no momento de decisão. Corinthians e Santos se enfrentam dia 13 de junho, às 21h50m, na Vila Belmiro. O segundo está marcado para o dia 20, no mesmo horário, no Pacaembu. O vencedor enfrenta Universidad de Chile ou Boca Juniors.

    – Acho que a experiência pesa. Não só a minha, mas temos vários jogadores que passaram por isso. Vamos precisar de tranquilidade para fazer as coisas certas.

    Reportagem: Globo Esporte

    Veja Também

    Notícias do Corinthians
    Notícias do Corinthians