Com Romero em dia de Basílio, Corinthians empata e conquista o Paulistão

    O JOGO

    PÉ DE ÁNGEL

    Em mais uma reedição da final do Campeonato Paulista de 1977, a festa foi da torcida corintiana mais uma vez. Se Basílio brilhou 40 anos atrás quando marcou o gol que tirou o Timão da fila, coube a Romero ser o herói da Fiel em 2017: foi ele quem abriu o placar em Itaquera, no empate em 1 a 1 com a Ponte Preta, neste domingo, e que confirmou o 28º título estadual do Corinthians.
    Artilheiro da Arena, agora com 18 gols, o paraguaio era um dos candidatos a herói do dia antes mesmo de abrir o placar. Na arquibancada, torcedores “previam” uma tarde histórica para o paraguaio com cartazes (“não vi Basílio, mas vi Romero). E foi aos 17 minutos, após um bom passe de Jadson, que o “Pé de Ángel” se eternizou na história do clube e viu um time desacreditado se transformar em uma equipe campeã.

    DESTAQUE

    90 MINUTOS

    A enorme vantagem construída no jogo de ida na semana passada, em Campinas – vitória do Timão por 3 a 0 -, deixou os donos da casa em situação bem tranquila. Sem pressa e com a arena lotada no jogo número 100 do estádio alvinegro, o Corinthians viu seu eficiente sistema defensivo conter os avanços de uma Ponte Preta marcada pelo desânimo e pouca esperança de reação.

    Com a vantagem ainda maior após o gol de Romero, o Corinthians viu a Ponte buscar mais o ataque. Ravanelli chegou a acertar a trave em um chute de fora da área, mas foi Marllon quem descontou no fim da partida e definiu o placar em 1 a 1. Nada que atrapalhasse a festa do Timão.

     

    Veja Também