Com um a menos, Timão segura empate sem gols com o Emelec

    O Corinthians jogou com um homem a menos desde os sete minutos do segundo tempo, quando Jorge Henrique foi expulso, mas conseguiu segurar um empate por 0 a 0 com o Emelec, no Estádio George Capwell, em Guaiaquil, no jogo de ida pelas oitavas de final da Libertadores.

    O primeiro tempo foi morno como o Corinthians gostaria que fosse, mas o jogo esquentou depois do intervalo, especificamente após a expulsão. A equipe de Tite teve momentos de instabilidade, acumulou cartões amarelos (seis no total) e até sofreu com as insistentes bolas alçadas do oponente, mas a segurança do grandalhão Cássio ajudou a evitar uma grande pressão.

    O jogo de volta será no Pacaembu, quarta-feira que vem. Um novo empate por 0 a 0 levará a decisão para os pênaltis, enquanto uma igualdade com gols beneficiará o Emelec. Quem se classificar vai enfrentar Vasco ou Lanús nas quartas de final – em casa, os cariocas abriram 2 a 1 de vantagem.

    O jogo –Tite disse que preferia uma derrota por 2 a 1 a um empate sem gols, mas o Corinthians foi tão eficiente na defesa quanto improdutivo no ataque durante o primeiro tempo. Substituto de Julio Cesar na meta alvinegra, Cássio foi pouco acionado. Já Willian, que ganhou a vaga de Liedson na frente, esteve discreto como o Levezinho.

    O maior mérito do time brasileiro foi esfriar os ânimos da torcida adversária. Neutralizando a maior arma dos elétricos– os cruzamentos para o centroavante argentino Luciano Figueroa, perito nos cabeceios -, o Timão “cozinhou” a etapa inicial sem ser ameaçado e praticamente sem ameaçar, salvo raras exceções, como um chute colocado de Emerson que passou perto do ângulo esquerdo de Dreer.

    A emoção só foi dar as caras no segundo tempo. Logo aos três minutos, o Emelec assustou justamente em uma bola parada levantada na área por Giménez, mas Cássio fez grande defesa para evitar o gol de cabeça de Achilier. Aos seis, o Corinthians respondeu com arrancada veloz de Emerson que só não foi concluída com a abertura do placar porque Dreer, o goleiro rival, também apareceu bem.

    O panorama da partida mudou definitivamente aos sete minutos, quando Jorge Henrique derrubou Gaibor no meio-campo, recebeu o segundo cartão amarelo com justiça e foi expulso. O Corinthians teve momentos de desequilíbrio assim que ficou em desvantagem numérica, tanto que Danilo recebeu cartão amarelo após aplicar um raro carrinho violento em Gimenez e Edenílson foi advertido logo na sequência por reclamação.

    Percebendo que a temperatura estava esquentando, o técnico Marcelo Fleitas trocou o pendurado Gaibor por Mera, enquanto Tite apostou em Alex na vaga de Willian para ter de volta a frieza apresentada no primeiro tempo e a posse de bola que o Emelec dominava mais a cada instante.

    Aos 17 minutos, Cássio pediu três homens na barreira, foi atendido por apenas dois e acabou salvo pelo travessão no chute violento disparado por Valencia em cobrança de falta. No minuto seguinte, o grandalhão De Jesús substituiu Mondaini para fazer companhia a Figueroa nas inúmeras bolas alçadas. A última cartada foi aos 30 minutos: Mena na vaga de Giménez.

    Tite respondeu com Elton e Alessandro (como volante) nos lugares de Emerson e Danilo. O sangue novo pouco ajudou. Quem garantiu o resultado foi Cássio, que fez nova defesa complicada em chute rasteiro de Mena, aos 38 minutos.

    Veja Também

    Notícias do Corinthians
    Notícias do Corinthians