Com vacilo no fim, Corinthians empata com o Sport em Recife

    O Sport cansou de perder gols nos primeiros 45 minutos contra os reservas do Corinthians, saiu atrás no placar, perdeu um jogador expulso, e, quando tudo parecia perdido, conseguiu aos 44 do segundo tempo o gol que selou o empate em 1 a 1, neste domingo à noite, na Ilha do Retiro. Ainda de ressaca após a festa pelo título da Libertadores, o Corinthians esteve em Recife sem nenhum titular. Até Tite tirou folga e não viu Júlio César falhar no gol rubro-negro.

    Com contrato por se encerrar no fim do mês e sem balançar as redes desde meados de abril, Liedson quebrou o jejum e marcou o gol corintiano, aos 29 minutos do segundo tempo, o que pode ajudar a convencer a diretoria a estender o vínculo. A definição não deve demorar, uma vez que ele já fez seu sexto jogo pelo Brasileirão e, se participar de mais uma partida, não pode jogar a Série A por outro time.

    O empate mantém o Corinthians na zona de rebaixamento, com cinco pontos, em 18.º, empatado com o rival Palmeiras, mas atrás porque tem pior saldo de gols. O Sport, com nove pontos, está em 12.º.

    O Corinthians volta a ter seus titulares na quarta-feira, quando faz jogo adiado da sétima rodada contra o Botafogo, no Pacaembu, às 19h30. Depois, no sábado, outro adversário de Pernambuco, o Náutico, às 18h30, novamente em São Paulo. O Sport joga no domingo, novamente em casa, às 18h30, diante da Portuguesa.

    O Jogo
    O primeiro tempo mostrou que não basta criar todas as chances de gol do período se não conseguir transformar nenhuma delas em gol. Foram oito ótimas oportunidades criadas pelo Sport, mas, por motivos diversos, o placar não foi mexido.

    Com dois minutos, Marquinhos Gabriel bateu falta de longe, no canto esquerdo, e Júlio César impediu o gol. Aos 11, quem salvou foi Welder. Marquinhos Gabriel invadiu a área, driblou o goleiro e rolou para Henrique. O lateral fez corte providencial, quando o atacante ia chutar para a rede.

    Na terceira boa chance, Júlio César é quem foi novamente o herói, pegando cabeceio de Alison. Depois, a trave que salvou. Primeiro a direita, para onde foi a cobrança de falta de Bruno Aguiar – o goleiro estava batido. Depois, o travessão, onde explodiu o chute de Reinaldo – desta vez Júlio César participou com um leve desvio, que impediu o gol.

    O goleiro voltou a trabalhar aos 33, mandando para escanteio chute rasteiro de Henrique. Mas a chance mais clara aconteceu aos 42, quando Rithely recebeu nas costas da defesa e ficou a sós com Júlio César. Ao invés de tentar o drible, ainda na entrada da área, preferiu o chute e mandou em cima do goleiro corintiano.

    O segundo tempo também teve superioridade do Sport, mas muito menos acintosa. Tanto que foram poucas as chances de gol para os donos da casa, nenhuma de real perigo, até que o Corinthians abrisse o placar.

    Aos 29 minutos, Douglas deu passe de letra para Marquinhos, que cruzou rasteiro e encontrou Liedson livre na área para fazer. O Sport reclamou um impedimento inexistente. Felipe Azevedo exagerou, falou algo que o árbitro não gostou e acabou expulso.

    Com um jogador a menos, o Sport não conseguia repetir a atuação do primeiro tempo e via o Corinthians controlar o resultado. Quando tudo parecia perdido, Roberson deu ótima enfiada de bola para Marquinhos Gabriel, que recebeu na entrada da área, matou no peito, cortou Wallace e tocou por baixo das pernas de Júlio César, que caiu cedo demais e aceitou o gol de empate, aos 44. No minuto seguinte, o estreante Cicinho, ex-seleção brasileira, arriscou de longe e viu o goleiro se redimir e impedir a virada.

    Reportagem: Agência Estado

    Veja Também

    Notícias do Corinthians
    Notícias do Corinthians