Contra Emelec, Corinthians inicia fase de mata-mata da Libertadores

    O Corinthians começará a enfrentar o equatoriano Emelec e um tabu de 12 anos a partir das 21h50 (de Brasília) desta quarta-feira, no Estádio George Capwell, em Guaiaquil. O clube que ainda tentar superar a recente eliminação nas quartas de final do Campeonato Paulista e os afastamentos do goleiro Julio Cesar e do centroavante Liedson (ambos em má fase) dos titulares não ganha um mata-mata de Copa Libertadores da América desde 2000.

    A última vez em que o Corinthians foi além das oitavas de final do torneio continental marcou a sua melhor campanha no torneio. O time que havia sido campeão mundial naquela temporada de 2000 passou pelo argentino Rosario Central nos pênaltis e por Atlético-MG antes de cair diante do Palmeiras, também nas penalidades, na semifinal. Nas participações seguintes, foi eliminado por River Plate, da Argentina, em 2003 e em 2006, pelo Flamengo em 2010 e de forma vexatória pelo Tolima, da Colômbia, na pré-Libertadores do ano anterior.

    O técnico Tite, no entanto, tem se esforçado bastante para tranquilizar o Corinthians e para afastar de sua equipe os traumas dos fracassos do passado. Ele já avisou até que a derrota para o Tolima, sob seu comando, serviu de aprendizado para 2012. “Sabemos que temos mais uma grande responsabilidade agora, contra o Emelec. É inevitável ficar ansioso pela grandeza da competição, mas também estou sereno porque temos ambição e podemos produzir bem no Equador”, discursou.

    Tite precisou administrar dois “problemas” na escalação corintiana para o primeiro jogo contra o Emelec. Não por causa de lesões ou suspensões. O goleiro Julio Cesar foi muito criticado por falhar na derrota por 3 a 2 para a Ponte Preta, pelo Campeonato Paulista, e não resistiu. Cederá lugar a Cássio em Guaiaquil. Já o artilheiro (nem tanto nos últimos tempos) Liedson, que só marcou três gols em jogos oficiais em 2012, perdeu espaço para Willian e sequer viajou para o Equador.

    Os dois jogadores promovidos esbanjaram confiança antes da partida decisiva desta semana. “Estou preparado para esse grande desafio. O Tite e a torcida confiam não só em mim, mas em todo o grupo”, afirmou Cássio, elogiado por sua estatura (1,95 m) e pela experiência internacional (passou por PSV Eindhoven e Sparta Roterdã, na Holanda, porém quase não jogou). “Eu me preparei para ter essa oportunidade. Quero mostrar o meu melhor para marcar os gols que o time precisa e não sair mais”, animou-se Willian.

    O restante da formação do Corinthians não sofrerá alterações. Os velocistas Emerson e Jorge Henrique atuarão ao lado de Willian, que terá de se adaptar como homem de referência do ataque. Na defesa, o zagueiro Chicão voltará a jogar ao lado de Leandro Castán depois de se recuperar de lesão muscular na coxa esquerda. O novato Marquinhos, seu substituto imediato, juntou-se ao grupo em Guaiaquil com um dia de atraso, já que o clube falhou ao não providenciar uma autorização dos pais do atleta (menor de idade) para a viagem internacional.

    Do outro lado, o Emelec promete mostrar maturidade para surpreender mais um clube brasileiro nesta Libertadores. O time equatoriano se classificou como segundo colocado do grupo 2, atrás do argentino Lanús e à frente do eliminado Flamengo. “Já provamos que estamos prontos para conquistas importantes. Será uma partida difícil, pois o Corinthians tem uma boa equipe, mas faremos respeitar o nosso mando de campo. Não temos medo”, avisou o volante e capitão Pedro Quiñónez, um dos líderes do time. “Teremos uma formação ofensiva mais uma vez. Nosso grupo está jogando a cada três dias, mas não reclama de cansaço”, bradou o técnico Marcelo Fleitas.

    Reportagem: Gazeta Esportiva

    Veja Também

    Notícias do Corinthians
    Notícias do Corinthians