Contratações, saídas e futuro: Tite e diretoria se reúnem nesta semana

    Um encontro entre a comissão técnica e a diretoria do Corinthians vai decidir os próximos passos a serem dados pelo clube. O Timão está cara a cara com a crise depois das eliminações no Campeonato Paulista e na Taça Libertadores e pelas iminentes saídas de Emerson e Guerrero. Tite quer a chegada de reforços para sonhar com o título brasileiro, mas a direção não tem dinheiro para fazer grandes investimentos.

    O treinador gostaria de receber um meio-campista de criação e mais dois atacantes. Um deles para atuar pelos lados do campo e outro para ser centroavante. Com os cofres vazios, o Timão varre o mercado nacional e internacional para buscar alternativas. A prioridade é encontrar jogadores em fim de contrato ou conseguir por empréstimo atletas que não estejam sendo muito aproveitados no exterior.

    Tite claramente se mostrou incomodado com a situação do volante Elias, deixado no banco de reservas – entrou no segundo tempo. Na entrevista coletiva após o empate com o Fluminense, no Maracanã, o treinador evitou dar detalhes sobre o caso. A diretoria aceitou negociá-lo com o Flamengo por não ter condições financeiras de quitar a compra dos direitos dele junto ao Sporting, de Portugal. O marcador, porém, decidiu permanecer no clube.

    – As pessoas acham que o técnico tem superpoderes. É bom o torcedor compreender que há uma hierarquia. Acima de mim existe um executivo de futebol, diretores de futebol e o presidente. O que for melhor para o Corinthians, o técnico se ajusta. Não é o técnico quem determina. Vamos definir o ciclo, último jogo…vamos conversar. A partir do momento que a direção der um parecer técnico vamos passar para vocês – afirmou Tite.

    O treinador quer ouvir da direção quais são os planos para Emerson e Guerrero. Nenhum deles ficará, mas o técnico precisa saber até quando poderá escalá-los. O peruano foi titular no Rio de Janeiro, até fez uma boa partida, mas perdeu um gol incrível na etapa final. Sheik começou no banco e entrou no segundo tempo, com uma atuação que pouco melhorou a equipe.

    Guerrero deve se despedir do Corinthians no domingo, contra o Palmeiras, em Itaquera. Em seguida, o jogador se apresentará à seleção peruana para disputar a Copa América. A competição acaba em 4 de julho. Ele tem contrato até 15 do mesmo mês e, mesmo que o Peru seja eliminado antes, dificilmente retornará ao Timão. O Timão cogita até liberá-lo antes para tentar economizar um mês e meio de salários – recebe R$ 480 mil mensais.

    Emerson vive situação semelhante: tem contrato até o fim de julho, mas a direção torce para que ele encontre um novo clube rapidamente e saia. Com isso, economizaria mais de R$ 1 milhão. Usado em três partidas do Brasileirão, ele pode atuar em apenas mais três. Tite não abre mão de dar a ele um jogo de despedida, como titular.

    Veja Também