Corinthians Sub-17

    Corinthians aposta forte em sua base: mas será suficiente?

    Em um estudo recente, desenvolvido pelo CIES Football Observatory, se chegou à conclusão que o Corinthians foi o segundo time, no Brasileirão 2019, que mais recorreu aos talentos de sua base para reforçar o elenco principal. Na verdade, o timão só ficou atrás do time de São Paulo.

    No total, em 18,3% do tempo de jogo, na temporada passada, o Corinthians utilizou jovens de sua base para lutar pelos primeiros lugares da Série A. Contudo, a pergunta continua presente: até que ponto essa aposta nos jovens é suficiente para lutar de igual para igual pelo título do Brasileirão?

    Em nossos podcasts sobre o futebol brasileiro terá acesso a informação valiosa e atualizada sobre as últimas notícias do nosso futebol, com debates animados e informados, destinados a todos os amantes do desporto rei.

    Apostar na base é uma boa opção?

    É importante relembrar que os times brasileiros são sobretudo vendedores e não compradores. Logo, é crucial poder investir e apostar forte na base, como o Corinthians provou ter feito na temporada passada. 

    Assim, caso um jovem se consiga destacar no Brasileirão, mais facilmente o time do Corinthians conseguirá fazer uma grande venda para a Europa, por exemplo. A grande questão é se o timão não está abdicando de sua performance esportiva, por estar optando bastante em sua base e não em jogadores que já deram provas de suas qualidades. 

    É possível chegar perto de Santos, Palmeiras ou Flamengo?

    A parte final da temporada 2019 do Corinthians acabou desiludindo, fazendo com que o time descesse para uma dececionante oitava posição do Brasileirão, quando as expetativas eram muito superiores no início da temporada, tal como acontece nesse ano de 2020. Mas até que ponto esse abaixamento de forma não foi motivado pela falta de investimento no elenco principal?

    Enquanto o Corinthians foi o segundo time a recorrer mais à sua base, times como o Flamengo ou o Palmeiras fizeram investimentos históricos em seus elencos, permitindo que seu time titular tivesse jogadores de renome nacional, mas também internacional. Será que o Corinthians terá que adotar um pouco mais essa política de contratação e de gestão de elenco?

    Qual é a melhor escolha de gestão esportiva e financeira?

    Para que um time tenha uma boa performance esportiva, mas também financeira, fica evidente que é necessário investir em contratações que tragam qualidade ao time, ao mesmo tempo que jovens da base possam ser lançados sem pressão e sem pressas. 

    Como ficou provado com a histórica temporada do Flamengo, em que o time não só contou com um elenco experiente e de qualidade assegurada, como também lançou e vendeu o jovem talento Reinier, a equipe do Corinthians poderá ter que seguir o mesmo modelo de gestão.

    Porém, em uma decisão que é complicada de ser tomada para qualquer tipo de time do Brasileirão, o Corinthians terá que decidir se quer ter uma temporada 2020 como uma equipe vendedora ou se, pelo contrário, vai optar por ser comprador. 

    Caso as contratações sejam um sucesso, não só a performance esportiva vai melhorar, como também os jovens sub-21 do Corinthians vão ter melhores referências e bases para se formarem e crescerem como jogadores de futebol de qualidade.

    Veja Também

    Notícias do Corinthians
    Notícias do Corinthians
    André Luis - Treino do Corinthians