Corinthians promete um novo Cássio para 2016. Tudo pelo ‘Tite-taka’

    O Corinthians definiu seu modelo de jogo de forma clara no Campeonato Brasileiro. Para a Copa Libertadores e as demais competições do próximo ano, o objetivo é aprofundar esse estilo e fazer a equipe cada vez protagonista, com posse de bola. Para o ‘Tite-taka’ ser colocado em prática, ninguém terá que se adaptar tanto quanto o goleiro Cássio.

    Nos últimos tempos, Tite passou a aproveitar o camisa 12 em treinamentos com bola em que, normalmente, atuam apenas os jogadores de linha. Um dos objetivos do preparador Mauri Lima é cada vez mais estimular Cássio a utilizar os pés e fazer com que ele participe da saída de bola desde a defesa.

    Se agarrar a esse estilo foi uma necessidade do Corinthians desde a perda de Paolo Guerrero. Com o centroavante na frente ou até mesmo Danilo em situações eventuais, Cássio e os zagueiros se sentiam mais à vontade para recorrer à ligação direta, pelo alto. Mas, com Vagner Love, que é mais baixo, Tite e seus auxiliares diminuíram esse expediente. Com esse modelo de jogo definido na campanha do hexacampeonato, o objetivo agora é envolver ainda mais os goleiros e zagueiros à causa.

    Ao UOL Esporte, Cássio explicou como se vê em 2016. “O Tite conversou bastante com os goleiros e quer trabalhar mais com o pé. Nós fizemos gols saindo trabalhando a bola. Ele nos passou confiança (a jogar com os pés) e isso leva um tempo. No ano que vem, vamos trabalhar muito mais com o pé e dar menos ‘chutão’. No Paulista, de repente, nem tanto, porque você pega estádios sem condições de trabalhar (a bola)”, advertiu.

    Preparador de goleiros do Corinthians há quase uma década, Mauri Lima explica a ideia que surgiu a partir de conversas com Tite. “Uma ou duas vezes na semana, a gente encaixa os goleiros no trabalho de posse de bola da equipe por 10 ou 12 minutos. Quero que eles trabalhem com mais pressão, no campo reduzido, para que possam ter a tranquilidade de dominar, passar, olhar com condição de assimilar tudo mais rápido. Isso tem surtido efeito. Não é o fundamental, que é o trabalho com as mãos, mas tem que ter qualidade”, explica.

    Mauri, por outro lado, adverte que Cássio não é um goleiro capaz de fazer muitas intervenções fora da área. É verdade que o Corinthians irá aprofundar seu modelo de posse de bola desde a defesa, mas preferencialmente no campo de ataque. Com as linhas do time muito avançadas, os zagueiros não podem se distanciar do goleiro.

    “Tem que manter uma média de posicionamento. Não adianta sair demais para cobrir, fazer linha de último homem para cobrir zagueiros. Ele vai dar o bote e pode não conseguir chegar. Às vezes um é mais veloz e outro é menos para fazer a cobertura. Temos que ter um padrão, com a possibilidade de sair da grande área e que não distancie tanto a defesa do goleiro. O Cássio tem sua agilidade e velocidade no gol, mas pelo tamanho, pela massa muscular que carrega, às vezes dificulta um pouco o trabalho de velocidade para um ponto mais longo”, acrescenta Mauri Lima.

    Veja Também

    Comments (6)

    1. Avatar
      Haroldo Carlos

      o galera ninguem nasceu sabendo só treinar treinar e guanhar a liberta é nóis

    2. Avatar
      Ulisses Trajano

      É o certo mais o Cássio e atrapalhado de mais não sei não viu

    3. Avatar
      Felipe Mendes

      O cassio é péssimo na saída do gol.

    4. Avatar
      Marcelo Guimarães

      Melhor???
      É possível?

    5. Avatar
      Wesley Wts

      Se for pra reposição rápida de bola, o Walter é a melhor solução. Mas o cassio dificilmente alguém toma sua titularidade.

    6. Avatar
      Wesley Wts

      Se for pra reposição rápida de bola, o Walter é a melhor solução. Mas o cassio dificilmente alguém toma sua titularidade.

    Comments are closed.