Corinthians vence a Ponte e garante a liderança na última rodada

    O Corinthians passou quase toda a reta final da primeira fase do Campeonato Paulista atrás do São Paulo na tabela de classificação. Na última rodada, no entanto, a equipe repleta de jogadores reservas escalada por Tite vestiu o uniforme grená corintiano, venceu a Ponte Preta por 2 a 1 (com gols de Chicão e Weldinho; Renato Cajá descontou) no Estádio Moisés Lucarelli e garantiu a liderança do torneio.

    Com o resultado conquistado neste domingo, o Corinthians encerrou a sua campanha na etapa classificatória com 46 pontos. O São Paulo, que perdeu por 2 a 1 para o Linense, ficou com 43. A adversária corintiana nas quartas de final será justamente a Ponte Preta, oitava colocada, com 28 pontos. O confronto está marcado para o próximo fim de semana (no sábado ou no domingo), provavelmente no Pacaembu.

    O jogo –O único jogador considerado titular do Corinthians em campo neste domingo foi também o principal articulador de jogadas da equipe nos primeiros minutos de partida contra a Ponte Preta. Com lançamentos precisos, quase sempre para algum atacante avançar pela ponta direita, o zagueiro Chicão passou a se destacar e a preocupar o técnico Gilson Kleina.

    O Corinthians contava ainda com a disposição de seus atletas habitualmente reservas para criar oportunidades de gol. Vitor Júnior e Douglas movimentavam-se bastante, na tentativa de agradar a Tite, e não se contentavam apenas em municiar o ataque. A dupla de meias também se encarregava de finalizar contra a meta defendida pelo goleiro Bruno.

    Contando com o apoio de sua torcida, bastante animada no Moisés Lucarelli, a Ponte Preta conseguiu neutralizar as investidas de Chicão, Vitor Júnior, Douglas e Gilsinho (o centroavante Elton era o mais apagado do setor ofensivo) e fazer a bola chegar ao outro lado do campo. Quase sempre, contudo, seus atacantes se precipitavam nas conclusões e facilitavam o trabalho da defesa corintiana.

    No final do primeiro tempo, o jogo ficou mais aberto. A Ponte Preta começou a cometer faltas mais duras e a dar chances de bola parada para Douglas e Chicão. O meia ainda levou perigo ao acionar Ramon, aos 38 minutos, mas o chute cruzado do lateral foi para fora. Assim como uma cabeçada de Enrico, pouco depois, na melhor investida dos donos da casa até então.

    O Corinthians diminuiu o ímpeto ponte-pretano logo no princípio da etapa complementar. Após cruzamento de Vitor Júnior, Gilsinho caiu na área em disputa de bola com Renan, e o árbitro Demetrius Pinto Candançan (escalado de última hora para o jogo, por causa de uma indisposição de Vinícius Araújo) assinalou pênalti. A um minuto, Chicão cobrou com categoria e conferiu, coroando sua boa atuação.

    Revoltada com o pênalti que deixou o Corinthians em vantagem, a torcida da Ponte Preta se manifestou: “Vergonha! Vergonha! Vergonha!”. O protesto acabou rapidamente calado por mais um gol dos visitantes. Aos cinco, Vitor Júnior chutou de dentro da área, e Bruno deu rebote. Weldinho apareceu como um verdadeiro centroavante para tirar proveito do lance e colocar a bola na rede.

    Gilson Kleina resolveu entrar em ação, colocando Enrico na vaga de Xaves. Como o Corinthians se acomodou e diminuiu o ritmo, a alteração do treinador surtiu efeito. A Ponte Preta incomodou o goleiro Danilo Fernandes com uma série de oportunidades de Rodrigo Pimpão e Roger. O goleiro se saiu melhor em todas, o que fez Lucas e Maranhão substituírem Gerson e Rodrigo Pimpão.

    Para reanimar o Corinthians, Tite também mexeu. Mandou a campo o jovem Giovanni no lugar de Gilsinho, fazendo a sua equipe melhorar. Aos 43 minutos, entretanto, Willian Arão cometeu falta dentro da área, e o árbitro assinalou pênalti. Renato Cajá bateu para descontar para a Ponte Preta.

    Reportagem: Gazeta Esportiva

    Veja Também

    Notícias do Corinthians
    Notícias do Corinthians