Cristóvão Borges - Corinthians

    Cristóvão minimiza pressão pós-Tite, mas diz que críticas foram exageradas

    Substituir o técnico mais vencedor da história do Corinthians era uma missão difícil, mas essa pressão não foi o que causou sua demissão. Para Cristóvão Borges, seus últimos momentos no comando da equipe foram de um círculo vicioso de erros, oscilações e críticas que impediram sua permanência no banco.

    O treinador falou com exclusividade ao GloboEsporte.com nesta terça-feira. Ele também minimizou os protestos da torcida, que pedia sua saída. A entrevista completa será publicada nesta quarta-feira.

    “Na minha contratação, todos ficaram sobressaltados. Substituir o Tite… meus amigos têm a visão de que isso seria muito difícil, mas foi o que menos senti. Era um peso, claro, mas as coisas andaram bem”, afirmou Cristóvão, que estreou com derrota para o Atlético-MG, em junho, mas depois ficou sete jogos invictos, com cinco vitórias.

    “Na hora da oscilação, aconteceram coisas que ajudaram no desequilíbrio do time. Esse terreno é fértil para erros e acertos. Eu acertei e errei. Mas estava em um lugar e um momento que não podia errar”, completou o técnico, que assumiu deslizes em substituições.

    As críticas ao trabalho de Cristóvão se acentuaram após a derrota para o Santos, por 2 a 1, de virada, há três rodadas. As trocas feitas, principalmente a entrada de Willians no lugar de Giovanni Augusto, no segundo tempo, foram apontadas como responsáveis pelo revés.

    “Quando errei, criou-se uma atmosfera adversa, difícil de ser retomada. Tudo veio de maneira incompreensível, com críticas além da conta, exageradas e até desrespeitosas. Criou-se um monstro. Mas não guardo mágoa, nem da torcida nem do Corinthians.”

    Cristóvão foi demitido após a derrota para o Palmeiras, por 2 a 0, no último sábado, em Itaquera. Ele deixou o Corinthians depois de 18 partidas, com sete vitórias, cinco empates e seis derrotas – um aproveitamento de 48%. Sob seu comando, o time marcou 23 gols e sofreu 20.

    A diretoria efetivou o auxiliar Fábio Carille no banco do time, mas já traça um perfil das opções que tem para assumir a equipe para a próxima temporada.

    Nesta quarta, o Corinthians enfrenta o Fluminense na partida da volta das oitavas de final da Copa do Brasil, em Itaquera – com o empate em 1 a 1 na ida, igualdade sem gol classifica os paulistas.

    Veja Também

    Vídeos do Corinthians
    Abel Braga
    Notícias do Corinthians
    Fabio Carille - Corinthians

    Comments (1)

    1. Avatar
      Diones Mendes

      A diretoria é incompetente mais vc tbm misericórdia insistir em yago ,Rodriguinho e sua covardia foi o motivo d sua queda.

    Comments are closed.