Danilo: o toque de gênio na Libertadores da América de 2012

    O ano era 2010, importante para o Corinthians, que completava o centenário na temporada. Ao lado de nomes como Roberto Carlos, Tcheco e Iarley, Danilo chegou ao clube com a missão de, enfim, transformar o Timão em campeão da Libertadores. 

    “Libertadores é muito disputada. Tem de ter um time muito competitivo, pois todos os jogos são decisivos. Tem de ter inteligência na hora de jogar, na hora de atacar e na hora de marcar também”, foram as primeiras palavras do meia ao se apresentar oficialmente com a camisa do Corinthians.

    A falta de títulos no ano simbólico e a eliminação precoce na fase preliminar da Libertadores na temporada seguinte culminaram na saída de diversos medalhões daquele elenco, mas Danilo permaneceu para entrar para a história.

    Em 2011, foi fundamental na conquista do pentacampeonato brasileiro. Desta forma, o camisa 20 começou o ano de 2012 com moral na torcida. Carinho que só aumentou após os três gols marcados na primeira fase da Libertadores. Nas oitavas e quartas de final, Danilo realizou partidas mais discretas. 

    Mas nos clássicos diante do Santos pelas semifinais, o jogador chamou a responsabilidade para si. O primeiro jogo, na Vila Belmiro, não contou com gol do veterano, mas com uma partida muito consistente, ajudou o Timão a sair com a vitória por 1 a 0.

    A vantagem na volta, no Pacaembu, acabou depois de Neymar abrir o placar ainda no primeiro tempo, algo que não durou muito. Aos dois minutos da etapa final, Alex cobrou falta, a bola ficou para Danilo na segunda trave. Com muita calma, dominou e chapou para as redes.

    Como o esperado, a ida da final contra o Boca Juniors (ARG) em La Bombonera foi de muita pressão do time argentino sobre o Alvinegro. Atrás do placar, Danilo viu Romarinho se transformar em um herói improvável ao empatar a decisão.

    Na volta, no dia 04 de julho, no Pacaembu, o personagem principal da noite foi Emerson Sheik, mas literalmente com um toque de Danilo. Depois da primeira etapa sem gols, o camisa 20 abusou da categoria para passar a bola ao atacante, ajudando a colocar o Corinthians à frente no placar.

    Alex bateu falta aos sete minutos. Jorge Henrique desviou de cabeça, Danilo, Emerson e mais dois defensores argentinos subiram para disputar o lance e a bola se ofereceu ao meia corinthiano. Inteligência, maestria, categoria, frieza e muita criatividade. Sem olhar, o experiente jogador deu passe de calcanhar com a bola no ar para Sheik abrir o placar.

    Em 2018, Danilo deve ser novamente uma peça importante com qual o técnico Fábio Carille pode contar para a disputa da Conmebol Libertadores Bridgestone.

    A caminhada do Corinthians em mais uma participação na Conmebol Libertadores Bridgestone começa nesta quarta-feira (20). Nesse dia, o Timão conhecerá os adversários que enfrentará na fase de grupos da edição 2018 da competição continental, no sorteio que será realizado na sede da Conmebol, em Luque, no Paraguai, às 21h (de Brasília).

    Veja Também

    Notícias do Corinthians