Desfalques? Empates? Corinthians lidera com imunidade a problemas no BR

    Dentro da campanha quase irretocável no Campeonato Brasileiro, o Corinthians teve problemas inéditos nos últimos dias. Nada que tenha gerado grandes preocupações ou ameaçado a liderança, mas que trouxe desafios e testou a estabilidade do grupo de Fábio Carille. Na vitória sobre o Fluminense por 1 a 0, no último domingo, o líder mostrou que, ao menos por enquanto, está imune a tudo isso. 

    Com dois empates consecutivos em partidas nas quais jogou melhor, o Corinthians havia visto a larga vantagem na liderança descer a seis pontos. Ainda que seja uma folga que poucas equipes conseguem ter a essa altura da competição, a tendência de queda na classificação ocorreu pela primeira vez no Brasileirão 2017. Mentalmente muito forte, o líder reagiu no Maracanã, como sempre fez na temporada.

    Bem organizado e concentrado, o Corinthians aproveitou a oportunidade mais clara para vencer com gol de Balbuena – apesar de outras chances criadas, foi a única finalização que acertou a meta defendida por Júlio César. A sexta vitória por 1 a 0 no Brasileirão expôs novamente a faceta do time de Carille: eficiente e regular. 

    Nesse contexto, nem a perda de dois titulares dos mais importantes foi sentida no Rio de Janeiro. O Corinthians jogou sem Pablo na defesa e Jadson no meio-campo, uma realidade que deverá se repetir por mais, pelo menos, quatro semanas. Os substitutos escolhidos revelaram, mais uma vez, a qualidade do trabalho da comissão técnica dirigida por Carille. Dentro de uma equipe ajustada, Pedro Henrique e Giovanni Augusto não só cumpriram seus papéis como também ajudaram diretamente. 

    Sem jogar como titular há mais de cinco meses, Giovanni foi o homem da assistência para o gol de Balbuena, um cruzamento perfeito que acabou nas redes. O treinador fez elogios: “Foi acima do esperado pelo tempo fora. Ele prendeu a bola, fez triangulações mesmo sem o ritmo de jogo. Fez tudo que havíamos combinado com ele”, declarou Carille, que não tinha o reserva imediato, Marquinhos Gabriel, suspenso. 

    A defesa, novamente, se mostrou uma força do Corinthians. Pedro Henrique, responsável por algumas falhas comprometedoras em 2016, mostrou evolução pessoal e evidenciou que o time não defende só de Balbuena e Pablo para ser seguro. A vitória também mostrou também que o sistema de jogo facilita o trabalho dos defensores em vez de induzir a erros individuais como em momentos do ano passado. Pedro teve boas intervenções na vitória. 

    Sempre preocupado com o desempenho do time, poucas vezes preocupado com os resultados e a classificação do Campeonato Brasileiro, Carille viu o Corinthians ampliar seus recordes do ano e da competição, com 40 pontos. Só três campeões de turno conseguiram mais pontos no atual formato, vigente desde 2006. Nada que deverá mudar o time corintiano, imune aos problemas e também a qualquer clima de empolgação.

    Cinco marcas expressivas do Corinthians de 2017

    – 30 jogos de invencibilidade (terceira maior da história do clube)

    – Pontuação em 16 jogos é inferior a apenas três campeões de turno no atual formato

    – Dos 43 jogos oficiais no ano, não sofreu gols em 25

    –  Só saiu atrás do placar em 7 dos 43 jogos oficiais no ano

    – Melhor desempenho em clássicos na década: 6 vitórias e 2 empates

    Veja Também