Diretor do Corinthians diz que Palmeiras causou “bolha” e que “aceitaria fácil” a Crefisa

    O atual momento do Palmeiras, que tem vivido um momento de prosperidade econômica desde que iniciou a parceria com a Crefisa em 2015, foi alvo de análise do diretor de marketing do arquirrival Corinthians, Fernando Sales, que entrevista ao Globoesporte.com, afirmou que o Alviverde tem “vivido em uma bolha”, mas não recusaria estar na mesma condição da equipe.

    Fla x Bota, Grêmio x Cru, Bayern, Real e Inter esse semana no FOX Sports!

    Em busca de um novo patrocinador master para o Timão, assim como foi no período da Hicks Muse e do Banco Excel, Sales afirma que o Palmeiras tem destoado das demais equipes da elite do futebol brasileiro por conta do alto investimento que tem recebido, o que o tem deixado em uma espécie de “bolha”.

    Muito por conta disso, também, a equipe rival terá que saber “sobreviver” quando a parceria terminar. “É preciso tirar desse comparativo o Palmeiras, que vive uma bolha. A gente já teve algumas aqui também. Isso não é o normal do futebol. E todos os outros clubes estão sofrendo com patrocinadores. Não sei quanto a Caixa paga ao Santos e quanto o Banco Inter paga ao São Paulo, mas pode ter certeza que foi difícil fazer a conta. A gente sofre aqui também, todos sofrem“, disse na entrevista.

    Sales, porém, afirma que o Palmeiras não está errado em ter aceitado a proposta, e que se a mesma surgisse para o Corinthians, ele facilmente aceitaria. “A gente (Corinthians) aceitaria fácil, não estou dizendo que o Palmeiras está certo ou errado, não quero fazer esse julgamento. Se qualquer clube tiver a chance de receber um investimento desse tamanho, tem mais é que aceitar mesmo, você vai rasgar um cheque? Só acho que o time tem que se preparar para quando esse parceiro for embora”, finalizou.

    A parceria entre Crefisa e Palmeiras começou em 2015. Em dois anos, foram dois títulos importantes conquistados, o primeiro deles a Copa do Brasil (2015) e o último o Brasileirão, na última temporada. Na atual, a equipe investiu R$ 33 milhões na contratação de Miguel Borja, por exemplo, mas já foi eliminada da Copa do Brasil e Libertadores, até então o principal objetivo do clube.

    Veja Também