Dirigente do Timão explica frase polêmica e prega respeito ao Guaraní

    Questionado por uma declaração antes da derrota do Corinthians para o Guaraní do Paraguai, na última quarta-feira, Sérgio Janikian, diretor de futebol do clube, preferiu não entrar em polêmica. Na ocasião, o dirigente disse que era “um presente de Deus” o fato de o Timão não enfrentar um clube brasileiro ou argentino nas oitavas da Taça Libertadores. A equipe, porém, saiu derrotada por 2 a 0.

    Na última sexta-feira, em coletiva de imprensa, Janikian chegou a negar a frase. O diretor, no entanto, voltou atrás e confirmou a frase, mas disse não querer entrar em polêmica.

    “Eu falei não por menosprezar time algum. Claro que seria melhor não encarar um time brasileiro ou argentino, mas não iria menosprezar o Guaraní, que é um time de tradição. Eu prefiro não comentar mais sobre esse assunto”, disse o diretor.

    Antes da partida da última quarta, Janikian festejou o fato de o Corinthians não enfrentar um time de maior expressão nas oitavas. A equipe, porém, não jogou bem e agora terá de vencer por três gols de diferença para avançar às quartas de final.

    “A gente teve a felicidade, não vamos negar, fomos presenteados por Deus com essas oitavas. É um jogo que não é tão complicado, não é nenhum brasileiro, nenhum expoente argentino”, disse, em entrevista ao canal Fox Sport.

    Com a derrota no Paraguai, o Corinthians precisará vencer por três gols de diferença em Itaquera, quarta-feira que vem, na arena. Se devolver os 2 a 0 leva a disputa para os pênaltis. Um placar de 3 a 1 (ou 4 a 2, 5 a 3…) classificaria os paraguaios, pelo critério de gols fora de casa. Quem passar, pega Montevideo Wanderers, do Uruguai, ou Racing, da Argentina.

    Veja Também

    Notícias do Corinthians
    Notícias do Corinthians