Dono de dinheiro apreendido, Timão suspende ingressos nas organizadas

    O Corinthians, por meio de seu departamento jurídico, assumiu ser o dono do dinheiro apreendido pela Polícia Civil na sede da Gaviões da Fiel e entrou com uma ação para recuperar o valor correspondente à venda de ingressos. A organizada informa que são R$ 110 mil, enquanto a polícia falou em R$ 150 mil.

    É rotineiro clubes enviarem ingressos para a comercialização nas sedes de torcidas. O Corinthians cancelará esse privilégio das organizadas por recomendação da polícia, depois da briga que envolveu cerca de 500 torcedores no último domingo – dois palmeirenses morreram.

    “Vamos mudar isso acatando a uma sugestão do chefe da investigação. A recomendação não é só ao Corinthians, mas a todos os clubes, para que não haja mais venda e atendimento nas organizadas. Faremos isso até que a polícia recomende a volta das vendas”, explicou o diretor de negócios jurídicos do clube, Luiz Alberto Bussab.

    Bussab e o gerente de arrecadação Lucio Blanco compareceram à delegacia na última terça-feira. Conversaram com Jorge Carrasco, diretor das Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), e a delegada Margareth Barreto, do Decradi (Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância).

    “O dinheiro pertence ao Corinthians e é referente aos ingressos. Temos postos de vendas lá [na Gaviões] para facilitar. Normalmente quando o jogo é domingo, eles levam dois dias para prestar contas”, afirmou Bussab.

    “Quando houve a batida policial, a própria Gaviões falou que era nosso. Agora vamos juntar os documentos que provam a nossa arrecadação, e o depósito será feito em juízo, porque foi apreendido”, acrescentou o diretor jurídico.

    Bussab não soube precisar o montante. Disse que é referente à comercialização de ingressos das partidas contra Cruz Azul e Palmeiras.

    Reportagem: UOL

    Veja Também

    Notícias do Corinthians
    Notícias do Corinthians