Empresários de Guerrero negam que atacante quis deixar Corinthians e culpam clube

    Após o gerente de futebol do Corinthians, Edu Gaspar, dizer, na última quarta-feira, que Paolo Guerrero pediu para deixar o Corinthians, já que estaria “desconfortável” com a proximidade do fim de seu contrato, os empresários do atacante reagiram.

    Nesta quinta, eles publicaram nota dizendo que o atacante não queria deixar o Parque São Jorge, mas o clube não conseguiu atender a pedida salarial do jogador, já que está em “replanejamento financeiro”.

    “Nos últimos meses, o atleta jogou com salários atrasados, esperou pela renovação que não vinha e abriu mão de melhores ofertas. Atuou com seu contrato à beira do fim, sob natural risco de lesão e não tirou o pé das divididas. Foi quando, finalmente, entendeu que não haveria forma de permanecer. A instituição passa por um replanejamento financeiro e nem mesmo o empenho do presidente Roberto de Andrade, da OTB SPORTS e do próprio Paolo, foram capazes de superar a barreira econômica”, escreveram os representantes do peruano.

    Guerrero tem contrato até 15 de julho com o time paulista e exigia receber R$ 18 milhões do endividado Corinthians apenas como prêmio pela renovação.

    Como irá se apresentar à seleção do Peru na segunda-feira para a disputa da Copa América, o clássico com o Palmeiras, neste domingo, marcaria a despedida dele do clube em que virou ídolo com os gols marcados no Mundial de Clubes de 2012. No entanto, ele foi dispensado ainda na quarta-feira, e não veste mais a camisa da equipe alvinegra.

    Com isso, seu adeus foi no 0 a 0 com o Fluminense do último domingo, quando perdeu um gol sem goleiro.

    Após a partida realizada no Maracanã, o centroavante enervou alguns torcedores ao levar em consideração a possibilidade de defender um compatriota do Corinthians – o Flamengo é o favorito a contratá-lo -, o que não admitia até recentemente. O centroavante passou a restringir o seu veto apenas a rivais corintianos em São Paulo.

    Leia a nota dos empresários de Guerrero:

    A OTB SPORTS, braço da Think Ball & Sports Consulting, através de seus sócios Bruno Paiva, Marcelo Goldfarb e Marcelo Robalinho, e do diretor executivo Fernando Paiva, se faz da presente para esclarecer a saída de Paolo Guerrero do Sport Club Corinthians Paulista. .

    Nos últimos meses, o atleta jogou com salários atrasados, esperou pela renovação que não vinha e abriu mão de melhores ofertas. Atuou com seu contrato à beira do fim, sob natural risco de lesão e não tirou o pé das divididas.

    Foi quando, finalmente, entendeu que não haveria forma de permanecer. A instituição passa por um replanejamento financeiro e nem mesmo o empenho do presidente Roberto de Andrade, da OTB SPORTS e do próprio Paolo, foram capazes de superar a barreira econômica.

    Diante do cenário, clube, empresa e jogador, decidiram em comum acordo pelo fim do ciclo. Entendeu-se por todos que a saída de Guerrero era o melhor para as partes. Para quem não pode pagar e para quem precisa receber.

    Nos surpreende as recentes declarações, que colocam única e exclusivamente na conta do jogador a responsabilidade pela decisão. Mesmo cientes de que, infelizmente, é da natureza do ser humano, no futebol e na vida, o hábito de transferir a culpa, não podemos nos furtar de colocar a verdade: o clube anuiu com a saída do atleta para aliviar suas finanças. Decisão bilateral que não pode e não será atribuída somente ao jogador, como insistem em fazer parecer.

    Paolo se despede do Corinthians após 03 anos de conquistas e realizações. O jogador agradece ao clube e, principalmente, aos milhões de torcedores. Para cada um deles, um abraço especial e o carinho recíproco que levará para o resto da vida.

    Veja Também

    Notícias do Corinthians