“Foi uma surpresa”, diz Vaguinho sobre Invasão Corinthiana ao Maracanã

    Um dos titulares do Corinthians no dia da histórica Invasão Corinthiana, Vaguinho se lembra bem da tarde do dia 05 de dezembro de 1976. Ao ser perguntado sobre o fato, o ex-ponta direita fala em “surpresa”.

    Mas uma surpresa emocionante. Os 70 mil corinthianos que dividiram o Maracanã na semifinal do Campeonato Brasileiro contra o Fluminense deram a motivação extra para os jogadores em busca de uma final inédita na época.

    No aniversário da Invasão Corinthiana, que completa 41 anos nesta terça-feira (05), confira uma entrevista exclusiva com um dos personagens do marcante dia.

    Pergunta: Esperava tudo aquilo de torcida quando saíram de São Paulo rumo ao Rio?

    Vaguinho: Não havia nenhuma perspectiva. Foi uma surpresa. A gente só tomou conhecimento antes de entrar em campo. Tínhamos o conhecimento de uma movimentação no Rio de Janeiro, mas não naquela quantidade. Quando entramos em campo que nos deu mais motivação.

    Qual o momento mais marcante daquele dia/jogo?

    Foi a nossa entrada quando a torcida nos ovacionou. Nossa torcida estavam em maior número que a do Fluminense. Para mim, foi uma emoção muito grande.

    O fato de estar na fila de jejum pesou? Deu medo de perder em algum momento da partida?

    O Fluminense não teve uma atuação brilhante. Foi parelho, mas tivemos mais chances de gols do que ele. A chuva não foi um problema, até porque empatamos no primeiro tempo. Tínhamos um esquema bom. O Ruço grudou no Rivelino e não deixou ele criar jogadas. A defesa ficou bem plantada, e jogamos muito bem aquele jogo.

    Como foi a festa após o jogo?

    A chegada nossa aqui (São Paulo) foi sensacional. A Avenida 23 de Maio virou um carnaval. Só tinha corinthiano de lado a lado, de ponta a ponta. Era algo impressionante. Foi um entusiasmo muito grande, a torcida invadindo o Parque São Jorge, comemorando como se fosse um título.

    Veja Também