Imperador e Sheik: reinado volta para dar certo no Timão

    Pacaembu, 20 de novembro de 2011. No lance de maior glória de Adriano pelo Corinthians, quando fez seu primeiro gol pelo clube e virou o jogo diante do Atlético-MG, mantendo o Timão na briga pelo título brasileiro, Sheik foi o mentor. Veloz, ele arrancou da defesa e deixou o Imperador na cara do goleiro, pronto para marcar. Neste sábado, diante do Guarani, a dupla estará, enfim, de volta – e pela primeira vez como titular.

    Nascidos no Rio de Janeiro (Emerson em Nova Iguaçu e o camisa 10 na capital), os atacantes têm estilos muito parecidos. Fora de campo, andam sempre acompanhados de seguranças, evitam conceder muitas entrevistas e chamam a atenção pelo estilo de vida badalado. Fato que muitas vezes os metem em polêmicas – até em casos policiais.

    Já dentro dos gramados, são indiscutivelmente grandes jogadores. Mas vivem um ano de 2012 ainda conturbado. Enquanto o Imperador tenta atingir o condicionamento físico ideal atuando uma vez por semana – apenas em jogos do Paulistão – seu companheiro volta ao time titular após ficar fora por uma pubalgia. Contra o Nacional (PAR), na quarta-feira, mostrou insatisfação ao entrar nos minutos finais do confronto, mas ainda achou tempo para aplicar um humilhante chapéu em Bogado.

    Drible que Adriano ainda tenta dar nas críticas e na desconfiança. Com contrato até 30 de junho, o jogador elevou o seu moral após o período que ficou recluso no CT Dr. Joaquim Grava, no mês passado, quando melhorou visivelmente sua condição física – fato que o fez voltar a atuar pelo time do técnico Tite.

    “Não foi criado nenhum método diferente do que tratar a parte física dele. Além de uma dedicação acima no normal por parte do Adriano. Teve dia que ele trabalhou em três períodos até. Foi a soma disso que o fez ficar fisicamente melhor. E a resposta vem dentro de campo. Acreditamos que vá melhorar ainda mais”, disse o diretor Roberto de Andrade, que diz que o desempenho será fundamental para definir a renovação.

    Apesar de Tite dizer que a evolução é de semana a semana, uma boa atuação pode até incluí-lo na viagem para o México, onde o Timão enfrenta o Cruz Azul na quarta. Para isso, nada melhor do que a parceria com Sheik, como nos velhos tempos.

    Em 2009, atuando pelo Flamengo, conquistaram o título brasileiro e, juntos, participaram de 13 partidas, com oito gols feitos por cada um.

    Entrosamento que pode ser decisivo para o “mistão” do Timão diante do Bugre. Na ginga carioca, Adriano e Emerson querem engrenar de vez neste ano. Dupla promissora?

    ADRIANO E SHEIK JUNTOS

    TOTAL: 15 JOGOS

    8 VITÓRIAS
    2 EMPATES
    5 DERROTAS

    GOLS DE ADRIANO: 9
    GOLS DE SHEIK: 9

    Reportagem: Lance!

    Veja Também