Jô diz onde errou na polêmica do gol de mão: poderia ter esclarecido antes

    • Reprodução/Premiere

    Durante o programa “Bem, Amigos!” de segunda-feira (16), o centroavante do Corinthians, Jô, admitiu ter um arrependimento em toda a polêmica do gol irregular, de mão, que marcou há um mês na vitória sobre o Vasco, por 1 a 0, pelo Brasileirão. 

    “Uma coisa que me arrependo, e ficou claro, quem me conhece sabe que foi no momento logo ali depois, eu poderia ter analisado no vestiário e ter falado que tinha tocado na mão, mesmo, logo depois do jogo. É uma coisa que me arrependo e tenho certeza que quem me conhece sabe que estou falando a verdade, que não estou mentindo e de que eu deixei claro depois foi que realmente não tive nenhuma intenção de fazer aquele gol com de mão, de querer ganhar as coisas trapaceando”, iniciou Jô.

    “Uma coisa que acho que gerou a maior polêmica – continuou Jô – foi de eu não ter falado depois da partida, logo em seguida. Ficou meio: ‘Pô, você poderia ter falado que pegou na mão’. Porque depois eu confessei que pegou na mão, mas eu poderia no vestiário ter analisado melhor, ter falado ali e me arrependo, deixei e gerou isso tudo, muita gente falando do meu caráter, da minha pessoa, onde fiquei muito triste.”

    E finalizou: “O arrependimento é só de não ter falado ali, como, por exemplo, o Dudu falou: ‘Ó, empurrei, mas foi interpretação do árbitro, se não deu falta, aí é problema dele’. Tenho o arrependimento só de não ter esclarecido logo depois da partida, de não deixado passar um dia até gerar essa polêmica toda.”

    Satisfeito com a fala do jogador, Galvão Bueno, apresentador da atração do SporTV, elogiou a atitude do corintiano. “Acho isso muito bacana, Jô, porque acho que a pessoa reconhecer o erro, que deveria ter falado antes, logo depois do jogo. Qual jogador já não teve um lance, uma atitude que tentou alguma coisa? O fato de você falar e reconhecer acho que encerra o assunto”, afirmou o narrador da Rede Globo.

    Orlando City

    A presença no programa do empresário brasileiro Flavio Augusto da Silva, proprietário do Orlando City, gerou uma brincadeira com Jô, dizendo que podia ir com mais frequência aquele país.

    A fala veio após o atacante corintiano demonstrar conhecimento sobre a liga de basquete, NBA. “O Oklahoma City (Thunder) trouxe o Paul George e o Carmelo Anthony. Agora vai dar um trabalhinho legal, mas eu gosto do Golden (State Warriors). Eu acompanho há muito tempo”. E o camisa 9 ainda contou que usa jogadas do basquete no futebol: “A gente tem uma jogada nossa, o bloqueio, para cabecear, alguns juízes estão falando que é falta e chama pick and roll (no basquete).”

    “Acho até que ele está bastante familiarizado com os Estados Unidos, né? Podia ir mais vezes lá”, comentou, na sequência, o dono do Orlando. Ao ouvir a declaração, o narrador Galvão Bueno, apresentador da atração do SporTV, não perdeu a chance e comentou: “Ih, rapaz, vai receber uma proposta, hein?”

    “Meu empresário está ali”, avisou Jô, rindo, assim como todos no estúdio. “Para quem já jogou em cinco países”, comentou Galvão.

    Mais adiante no programa, o narrador retomou o assunto: “O cara hoje acabou de receber uma proposta para ser contratado pelo Orlando”, falou. E o empresário negou: “Não teve proposta, não.”

    “Se eu sou o Corinthians, eu entro por questão de ética contra você”, seguiu com a zoeira Galvão. “Imagina”, defendeu-se o empresário do time da MLS.

    “Assediou aqui ao vivo”, entrou na onda o debatedor Marco Antônio Rodrigues. “O país inteiro vendo”, acrescentou o narrador. “E o Jô disse ‘meu empresário está ali'”, reforçou Galvão. “Você vê que foi ele que se ofereceu”, argumentou Flávio Augusto.

    “O espírito do Bem, Amigos é esse. Bom, é o reconhecimento do futebol do Jô”, finalizou a brincadeira Galvão.

    Veja Também

    Notícias do Corinthians