Lulinha não se assusta com testes nucleares na vizinha Coreia do Norte: “Bem tranquilo”

    Enquanto a família se preocupa e acompanha notícias entre as tensões envolvendo Coreia do Norte e do Sul, Lulinha não parece esquentar a cabeça. Em boa fase no Pohang Steelers, equipe sul-coreana, o ex-Corinthians conta, em entrevista ao FOXSports.com.br, que nem ele nem os companheiros de vestiários estão assustados com os conflitos e testes nucleares, que praticamente não constam nos assuntos diários da equipe. Quanto à vida no país, o jogador, a esposa e a filha só têm elogios.

    “A gente não escuta muito o pessoal da Coreia falando, eles não falam muito. Não tanto quanto se fala no Brasil, acho que alardam muito. Os familiares ficam muito mais preocupados do que a gente mesmo aqui no país. É claro que tem essa preocupação porque somos vizinhos da Coreia do Norte e a gente fica preocupado com algumas situações, mas aqui é um país muito tranquilo de se viver, muito sossegado mesmo”, conta.

    Apesar de alguns brasileiros na Coreia do Sul já terem colocado seus nomes no consulado para conseguir deixar o país em caso de emergência, Lulinha não pensa em sair. “A gente ficou meio assustado, mas estamos bem tranquilos, esperamos que não aconteça nada”, explica. O receio, porém, é com os terremotos.

    Bem distante dos craques da Europa, Lulinha não deixa de sonhar com a Seleção Brasileira: “Penso, por que não? A gente vê alguns jogadores da China sendo convocados. Claro, é um sonho muito difícil, mas por que não? Eu trabalho duro todo dia, treino muito. Aqui é um campeonato difícil, complicado”

    No entanto, descarta retorno ao Corinthians, clube onde foi revelado em 2006 com grande badalação, e rebaixado no ano seguinte. “Agora não penso. O Corinthians foi muito bom para mim e muito importante na época em que eu subi para o time principal. Claro, aconteceram muitas coisas que para mim não foram boas no profissional, infelizmente, mas sou feliz e grato pelo clube”, conta. 

    Leia também:

    Klopp fala sobre saída de Coutinho

    Os preços da Formula E

    Rooney dá pista sobre o futuro

    Veja Também