Muita pressão? Maycon diz o que pensa ao ser comparado com Elias e Paulinho no Corinthians

    O volante Maycon ainda está invicto na temporada pelo Corinthians e é considerado o “motorzinho” do meio-campo pelo técnico Fábio Carille, mas não se vê nem próximo do que outros nomes da sua posição se tornaram após se destacar no clube. Elogioso a Elias e Paulinho, praticamente percursores do seu estilo de jogo, ele disse que almeja, um dia, chegar ao patamar estabelecido pela dupla que se alternou como destaque do clube nos últimos anos.

    Fla x Bota, Grêmio x Cruzeiro, Bayern, Real e Inter essa semana no FOX Sports!

    “Acredito que sim, cada um tem sua importância. Minha função é importante para o elenco ofensivamente e defensivamente. Mas eles (Elias e Paulinho) são grandes jogadores, não dá para comparar”, disse o camisa 8, que marcou quatro gols e deu cinco assistências até o momento nem 2017.

    “Eu quero chegar onde eles chegaram e é um processo de evolução que estou passando, de aprendizado. Tenho muita coisa a crescer no Corinthians para chegar onde eles chegaram, grandes times da Europa e Seleção Brasileira”, avaliou o jovem das categorias de base, explicando o que tem de fazer em campo para o esquema do líder do Campeonato Brasileiro funcionar como tem funcionado.

    “Eu tenho que fazer as partes do campo ajudando na marcação e na criação. Acho que eu fico feliz quando meus companheiros são beneficiados pelo trabalho do grupo. Se a linha defensiva não estivesse tão bem talvez o Cássio não estivesse na Seleção, e ele agradece bastante o sistema defensivo. Talvez o Jô não estaria sendo sondado para ir para a Seleção, sendo artilheiro do Brasileiro. É um trabalho em conjunto, cada um tem sua peça fundamental, sua importância”, comentou, exaltando a disputa interna.

    “Até mesmo os reservas sabem da importância, então trabalhamos sério, porque o Corinthians é maior que qualquer jogador. Estamos trabalhando na humildade, na concentração e dando foco ao que o professor pede”, observou. Descansado da forte sequência de jogos da equipe, ele ainda reconheceu a utilidade das duas semanas sem jogos que a equipe tem para se preparar antes de encarar o Vitória, neste sábado, em Itaquera.

    “Um pouco mais descansados. Estávamos em uma batida muito forte de campeonato e a forma como jogamos é muito intensa, em que temos que nos doar bastante. Paramos para treinar algumas coisas que estavam faltando, alguns erros que a gente vinha pontuando na semana, mas não trabalhava, era só vídeos. Agora passamos para o campo, a parte tática, e isso é importante também”, informou, seguindo o discurso dos companheiros ao descartar qualquer empolgação com a vantagem na liderança.

    Saiba mais!

    Jair e Renato detonam gringos

    Quem deve jogar no ataque do Fla?

    Jornal crava Coutinho no Barça

    Veja Também