No mercado? Corinthians confirma que pode perder um dos seus grandes destaques no fim da temporada

    O Corinthians tem se mexido nos bastidores para planejar a próxima temporada, de olho na disputa da Libertadores da América, e já até anunciou a renovação de contrato do técnico Fábio Carille, surpreendendo em meio a um tempo de baixo aproveitamento do time dentro de campo. Um dos nomes que parecia certo em 2018, porém, o zagueiro Pablo não tem qualquer garantia que seguirá no elenco.

    O defensor, que chegou a ter um acordo anunciado oficialmente pelo seu empresário, Fernando César, viu o próprio agente interromper as negociações, incomodado com uma diferença de valores entre o que foi acertado previamente e o que seria pago assim que o Timão recebeu um sinal positivo do Bordeaux-FRA.

    Assim que Fernando foi à imprensa e reclamou da postura dos corintianos, foi a vez de o incômodo passar de lado e chegar a toda a cúpula alvinegra. Decepcionados pela forma com que o caso acabou divulgado, os dirigentes do clube do Parque São Jorge resolveram interromper as conversas e aproveitar o encerramento da janela de transferências europeia. Com Pablo garantido ao menos até dezembro, eles esperam que o tempo “cure” os desentendimentos.

    Barça, Inter de Milão e Borussia ao vivo no FOX Sports! 

    “Na realidade, nós sentamos e conversamos e, como não teve acordo financeiro, as coisas pararam um pouco. Acredito que, até o final de novembro, teremos uma solução. Ou vamos fazer ou não vamos fazer”, explicou o presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, que liderou o esfriamento das tratativas ao saber das reclamações do agente.

    Inicialmente, Pablo custaria 3 milhões de euros aos cofres corintianos, cerca de R$ 11 milhões. Como o clube havia acordado a cessão dos 15% que ainda tem de Malcom, hoje no próprio Bordeaux-FRA, restaria apenas o pagamento de R$ 4 milhões. Mesmo com o desmanche inicial do negócio, esse modelo ainda é visto com bons olhos pela diretoria.

    “Depende, o Malcom é um ativo que o clube tem, se depender disso e a gente não tiver outro recurso, sem problema nenhum nós vamos usar”, comentou o mandatário, que ainda não tem alvos definidos para o ano que vem. Vale lembrar que, em fevereiro, o clube passará por eleições presidenciais.

    “Estamos trabalhando, começamos a conversar, não abrimos negociação com ninguém ainda até porque começamos nesta semana. Estamos observando e já pontuando alguma coisa para poder agir”, concluiu Roberto, dono do cargo até o começo do ano que vem.

    Veja Também