UOL Esporte - 12 de setembro de 2017 às 18:11
  • Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro

    Jô defendeu as cores do Atlético-MG entre 2012 e 2015

    Jô defendeu as cores do Atlético-MG entre 2012 e 2015

O Atlético-MG se manifestou sobre o ação movida por Jô na Justiça do Trabalho em que pleiteia receber pouco mais de R$ 823 mil por conta de supostas dívidas referentes ao período em que defendeu o clube, entre 2012 e 2015.

Embora diga que não teve acesso às cobranças do atleta, o clube garante que as postulações são “inteiramente improcedentes e estranhas” por meio de nota oficial.

“Portanto, considera o Atlético, se verídicas as postulações apontadas pela mídia, inteiramente improcedentes e estranhas para um jogador que recebeu total apoio do clube no período em que aqui esteve, mesmo em momentos conturbados. Aliás, o atleta chegou à Seleção também pelo apoio e estrutura a ele oferecidos pelo clube”, declarou a agremiação por meio do documento.

Jô protocolou uma ação trabalhista contra o Galo em 31 de julho pleiteando receber uma quantia referente às convocações para a Copa das Confederações e o Mundial, direito de arena e verba rescisória. O montante supera R$ 823 mil.

Confira, abaixo, o que diz o comunicado enviado pela assessoria do Atlético à imprensa:

“O Atlético recebeu, pela imprensa, a notícia de que o atacante Jô teria promovido reclamação trabalhista em face do clube, postulando indenização no período em que esteve à disposição da Seleção Brasileira durante a Copa do Mundo de 2014. Segundo a mídia, o jogador pretende, ainda, diferença dos direitos de arena.

A informação que temos é que a referida ação foi liminarmente indeferida pelo juiz do trabalho de 1º grau, sendo que, desta decisão, o atleta interpôs recurso e o TRT determinou o retorno da ação ao juiz de 1º grau, para o prosseguimento regular.

O Atlético não foi, em momento algum, chamado a integrar o processo e fará, em momento oportuno, a sua defesa quanto a essas nulidades existentes.

Por outro lado, em relação ao mérito, se verdadeiras as postulações, o Atlético responderá na forma legal, já adiantando ser improcedente qualquer indenização relativa ao período em que o jogador esteve à disposição da seleção nacional.

Nesse período, Jô recebeu a integralidade dos salários, mesmo não prestando serviços ao clube, o que realça a injustiça que se pretende com esse descabido pedido.

Em relação ao “direito de arena”, o atleta desconhece que os valores são diretamente descontados do montante pago pela TV e repassados ao sindicato da categoria, único responsável pelo pagamento e prestação de contas aos atletas.

Portanto, considera o Atlético, se verídicas as postulações apontadas pela mídia, inteiramente improcedentes e estranhas para um jogador que recebeu total apoio do clube no período em que aqui esteve, mesmo em momentos conturbados. Aliás, o atleta chegou à Seleção também pelo apoio e estrutura a ele oferecidos pelo clube.

Inclusive, no período anterior à sua atual contratação pelo Corinthians, quando estava sem clube, o Atlético acolheu o jogador na Cidade do Galo, disponibilizando toda a estrutura para que o atleta reingressasse ao mercado, como ocorreu posteriormente com a contratação pelo clube paulista”.