UOL Esporte - 16 de julho de 2017 às 04:19

À primeira vista, o empate do Corinthians com o Atlético-PR por 2 a 2 neste sábado (15), em casa, pode ser encarado com um resultado negativo. Porém, o treinador alvinegro, Fábio Carille, inverteu o discurso no vestiário após a partida. O comandante fez questão de ressaltar a importância de conquistar um ponto a mais no Campeonato Brasileiro.

“Sem dúvida, falamos sobre isso [no vestiário]. Esse ponto é muito importante. É muito importante pontuar no Brasileiro, quando não faz isso é ruim. A gente fez um ponto, que tenho certeza que lá na frente vai ser muito importante. Falamos que não era para ninguém abaixar a cabeça, que a gente está no caminho certo. Não é esse empate que vai abalar a gente na competição”, disse o zagueiro Pedro Henrique.

Obviamente, os jogadores esperavam ver o Corinthians sair de campo com o resultado positivo. Porém, como pregou o discurso de Carille, os atletas conseguiram encontrar o lado positivo do empate por 2 a 2. 

“A gente falou [no vestiário] que o ponto é importante. Queríamos ganhar, mas é do jogo. Sabemos que nem todas as vezes vamos conseguir vencer. Lógico que somar é sempre bom. Mas a gente sabia que em casa tinha de ganhar, mas se não vencesse, pelo menos queríamos sair com o empate. A gente sabia que seria difícil, que o Atlético-PR tem um time muito bom. Estamos trabalhando bem, mas o campeonato é longo ainda. Tem muitos jogos pela frente, pensar em pontos que perdemos agora vai ser à toa porque tem muitos pontos por jogar ainda. O mais importante é que estamos em um bom caminho”, afirmou o zagueiro Balbuena.

Com o empate, o Corinthians passou a somar 36 pontos em 14 partidas disputadas neste Campeonato Brasileiro. Para sair com o título, o treinador já tem um número em mente de quanto a equipe precisa alcançar. “Tenho comigo, do jeito que está o campeonato hoje, com 72 pontos consegue o título, essa é a conta que eu faço, mas vai se definir mesmo faltando oito rodadas. Não acredito que alguém vai ser campeão com 80, pelos resultados que já teve. Amanhã talvez eu já mude, mas hoje acho que com 72 é campeão”, disse Carille.

Os jogadores, no entanto, preferem não fazer planos a longo prazo. “Ele [Carille] não passou nada de número para a gente. Antes do início do torneio a gente aclarou que iria pensar em jogo por jogo. Estamos pensando dessa maneira, respeitando os adversários”, afirmou Balbuena.