O fim de temporada antecipado do Corinthians

    A Série A do Campeonato Brasileiro de 2020, que estava inicialmente prevista para começar em maio e terminar em dezembro, teve início apenas em agosto e terminará no dia 24 de fevereiro de 2021. Assim, este tem sido um mês de dezembro muito diferente dos de outros anos, visto que cada partida ainda faz uma diferença enorme para as pretensões da maioria das equipes da Série A. Isso vale tanto para aquelas que lutam pelo título nacional – ou pelo menos por uma vaga na próxima Copa Libertadores – quanto para as que buscam se livrar do rebaixamento para a Série B do ano que vem.

    2020 Brasileirao Series A: Corinthians v Sao Paulo Play Behind Closed Doors Amidst the Coronavirus (COVID - 19) Pandemic
    Foto: Miguel Schincariol/Getty Images

    Durante boa parte da competição, o Corinthians esteve entre os que lutavam para não cair e chegou mesmo a estar entre os quatro últimos, um fato que não acontecia desde 2012. Isso, por sua vez, nos ajuda a entender um dado bem curioso: embora no dia 11 de dezembro o rebaixamento do Timão já parecesse para seus torcedores uma possibilidade bastante remota, o retorno esperado por um título do clube na atual Série A era de 65 entre apostadores que realizam apostas em futebol online contra outras pessoas – e não necessariamente contra a casa –, através do que se chama comumente de trading esportivo.

    É claro que, faltando aproximadamente 1/3 dos jogos a serem realizados até o fim do Brasileirão, falar em título já não significava absolutamente nada para qualquer equipe que estivesse a mais de 15 pontos do líder, como era o caso do Corinthians. O que é curioso mesmo nesse retorno de 65 é que ele fazia do Timão o clube cujo título no Campeonato Brasileiro desta temporada oferecesse o retorno mais alto no trading esportivo dentre todos os 20 na disputa da competição. Como isso era possível se, nesse mesmo 11 de dezembro, o time que vinha sendo treinado por Vagner Mancini era o 11º colocado na tabela?

    Nesse ponto, é importante observar que no trading esportivo uma aposta feita por uma pessoa contra ou a favor de determinado resultado deve ser correspondida por pelo menos mais uma pessoa para que possa gerar algum retorno para um dos dois lados. Logo, o fato de o retorno por uma aposta no título do Corinthians ser mais alto do que aquele oferecido pelo título do Atlético Goianiense ou do Fortaleza não significava que essas equipes tivessem mais chances de sucesso do que o Timão. Mas talvez fosse um bom indício de que, entre os traders esportivos, não havia muitos motivos para especular demais quanto ao sucesso do Corinthians na Série A.

    E isso porque, em dezembro, a equipe era uma das poucas na primeira divisão que realmente pareciam encarar esse fim de ano quase como sinônimo de fim de temporada, o que ficava implícito em análises como as que foram feitas pelo venezuelano Rómulo Otero. E não haveria por que condená-la ao praticamente decretar o fim dessa temporada a menos de dois meses do término do Brasileirão: se por um lado as chances de rebaixamento do Corinthians antes do clássico contra o São Paulo eram, de acordo com o matemático Tristão Garcia, de 7%, as chances de classificação à Libertadores eram de 1%. Números que, por mais frios que possam parecer, retratam muito bem o que foi o ano de 2020 no Parque São Jorge.

    Veja Também