Odebrecht atrasa mais uma vez obras em Itaquera e atrapalha Nike

    A Odebrecht não cumpriu mais uma vez sua promessa de acabar as obras da Arena Corinthians. Com limite estabelecido para o fim de julho, a construtora prorrogou pela quarta vez seu tempo de permanência em Itaquera para terminar a última parte da nova casa do time alvinegro e agora deu um novo prazo: setembro estará finalizada.

    No clube, porém, não há a menor confiança de que no início do mês que vem a empresa terá acabado de realizar o seu trabalho.

    Muito pelo contrário, o cenário é de total incerteza, inclusive parte da diretoria se pergunta se de fato o estádio será entregue seguindo o projeto original combinado.

    “Até o final de agosto as obras terminarão”, disse a Odebrecht por meio de sua assessoria de imprensa, em resposta para a reportagem.

    Além de atrapalhar a parte comercial do funcionamento da arena, já que parte dos camarotes e outros espaços que poderiam gerar receitas não estão acabados, os atrasos atingem também a vida da Nike, fornecedora de material esportivo do time, a patrocinadora que tem o maior contrato hoje vigente com a equipe.

    A empresa tem uma loja em Itaquera, mas não sabe quando poderá abrir as portas, por conta das obras que ainda não terminaram. A ideia original era de começar a funcionar no aniversário do Corinthians, em primeiro de setembro. O prazo, porém, diante da situação, foi prorrogado para outubro, no dia das crianças, mas ainda há dúvidas.

    O assunto, aliás, já gera mal-estar e desgaste entre as partes. Há ainda acabamentos pendentes, que a Nike tenta obter informações com o clube para saber se de fato serão entregues ou se ficarão sem ser feitos, por exemplo. Depois do fim dos trabalhos, há ainda a dependência de laudos, como o do Corpo de Bombeiros, para que seja liberada a abertura.

    Em meio a esses problemas, a diretoria do Parque São Jorge, junto com o Fundo que cuida de Itaquera, tenta aumentar o prazo de carência para começar a quitar a construção da arena. Pelo contrato assinado em novembro de 2013, o pagamento dos R$ 400 milhões do financiamento do BNDES começou em julho – com o máximo de 180 meses para zerar todos os débitos em parcelas mensais, com juros e correções.

    Eles argumentam, porém, que pelas regras internas do banco para financiamentos de estádios da Copa do Mundo há pelo menos 36 meses de carência, a contar da data que o contrato foi assinado, no dia 19 de novembro de 2013.

    Ou seja, se os 36 meses fossem seguidos, o clube só precisaria fazer o primeiro depósito em novembro de 2016. Ainda não há uma decisão sobre o assunto, que é tratado com a Caixa Econômica Federal, repassadora do empréstimo do BNDES.

    Veja Também

    Notícias do Corinthians

    Comments (4)

    1. Avatar
      Lindomar Coelho SF

      Essa Odebrecht é uma bosta, esse estádio era pra fk pronto à 1 ano atrás, até hj tem obras atrasadas. O Corinthians tem é que fuder essa empresa na justiça

    2. Avatar
      Diego Aparecido

      Tão roubando bem kkkk muito bem safados

    3. Avatar
      Juninho Nascimento

      eles saao tudoo bandidoo

    4. Avatar
      Danilo Fejão

      Que palhaçada isso . 3 anos pra deixar um estádio pronto em valores acima de 1 bi ?? Vergonhoso .

    Comments are closed.