Pablo - Corinthians

    Pablo rompe silêncio, revela quebra de acordo corintiano e nega valores surreais

    Pablo virou o assunto do sábado no Corinthians depois depois de ser dispensado do clube. O zagueiro, que não pôde treinar e nem participará da festa pelo título do Brasileirão, contra o Atlético-MG, neste domingo, na Arena, foi alvo de críticas dos torcedores ao longo de todo o dia. Mercenário e ingrato foram alguns dos ataques mais comuns.

    Depois de ouvir calado todas as acusações, baseadas em declarações de Alessandro Nunes e Flávio Adauto, dirigentes do Timão, o zagueiro quebrou o silêncio e concedeu uma entrevista de quase 20 minutos por telefone ao Blog do Jorge Nicola. No contato, ele revelou gratidão ao Corinthians e à torcida, mas se mostrou tristeza por ser barrado da foto do título e da cerimônia de entrega da taça, contou que um acordo fechado entre as partes na sexta foi quebrado, assegurou que não pediu um salário estratosférico e agradeceu o apoio dos outros jogadores, que se solidarizaram em um grupo de WhatsApp.

    BLOG: Quando você soube que não participaria da festa pelo título neste domingo?
    PABLO: Hoje (sábado) de manhã. Me chamaram para uma pequena reunião antes da ida até a arena, onde iríamos treinar, e comunicaram que eu não faria parte do treino e nem do jogo.

    Como você reagiu?
    Com tristeza, até porque ontem (sexta-feira) os dirigentes do Corinthians tinham resolvido com meu empresário que só anunciariam que não houve acordo depois do jogo. E que seria uma partida de despedida para mim. Ou seja, fui pego totalmente de surpresa.

    Então, o combinado é que você jogaria e deixaria o clube na segunda-feira?
    Sim. Para mim, foi totalmente surpreendente. Embora alguns que conversaram comigo hoje (sábado) dissessem que já imaginavam esse desfecho.

    Qual a sensação de não jogar na partida da taça e ficar de fora da foto do título?
    Isso tudo me deixou muito triste, porque criei um respeito enorme pelo clube, pela torcida, pelos companheiros… não precisavam agir dessa forma. Parece que enquanto eu estava jogando, estava tudo bem. E, diante de um desacerto, agora já não presto mais a ponto de nem merecer estar na foto.

    Como os jogadores do Corinthians reagiram à notícia?
    Nós, jogadores, temos um grupo de WhatsApp, e todo mundo se solidarizou. Queria até agradecer ao grupo inteiro pelas palavras de apoio.

    A diretoria falou que sua pedida é surreal. Que você quer ganhar um dos maiores salários do clube. Isso é verdade?
    Não é verdade. Vou deixar para falar sobre essa situação mais para frente, com mais detalhes, mas não é isso. Eu e o Fernando estamos tentando acertar para ficar desde julho. Fizemos tudo com transparência e quem me conhece sabe como eu trabalho. Fiz o possível e o impossível para permanecer no Corinthians.

    Veja Também