Perto de perder estrelas, Corinthians deve ter ataque ‘genérico’ no Dérbi

    Se forem confirmadas as ausências de Emerson e Guerrero no clássico contra o Palmeiras, domingo, às 16h, em Itaquera, pelo Campeonato Brasileiro, o Corinthians terá de apostar suas fichas em jogadores que até agora pouco produziram. Com a iminente possibilidade de as estrelas serem barradas pela diretoria, o técnico Tite ficará com poucas opções no setor e poderá recorrer a improvisações.

    Mendoza e Romero são, hoje, os únicos atacantes totalmente à disposição para o Dérbi. O problema que os números e as atuações de ambos estão longe de empolgar a Fiel. Contratado por DVD no fim do ano passado, o colombiano atuou 20 vezes e marcou apenas dois gols. O paraguaio, comprado do Cerro Porteño em 2014 e última opção do treinador até agora no grupo, tem o mesmo número de gols, mas em 32 partidas.

    Mendoza é visto no clube como um jogador voluntarioso e de muito poder físico, capaz de atacar e defender, mas sem grande qualidade técnica. O mesmo acontece com Romero. Tanto que, em boa parte da temporada, sequer ficou no banco de reservas da equipe considerada reserva. Por isso, o Timão sonha com reforços.

    Outras duas alternativas estão praticamente fora. Luciano (63 jogos e 18 gols) ainda faz tratamento para se recuperar de uma lesão na coxa direita, sofrida na primeira partida contra o Guaraní, no Paraguai, pelas oitavas de final da Taça Libertadores. É pouco provável que o jogador esteja pronto para ir a campo diante do arquirrival.

    Vagner Love (18 jogos e dois gols) não está lesionado, mas passa por um processo de recondicionamento físico e sequer deve ficar no banco de reservas. Nas contas da comissão técnica, ele perderia dois jogos (Fluminense e Palmeiras) para evoluir com os treinamentos. Mesmo que Guerrero seja barrado, o Artilheiro do Amor deve continuar fora para não prejudicar o planejamento feito pelo corpo clínico.

    Resta a Tite a possibilidade de improvisar meio-campistas na função. Renato Augusto e Danilo já atuaram na posição neste ano e surgem como alternativas para a vaga de centroavante. Além disso, são mais experientes para suportar a carga emocional de um clássico. O treinador dificilmente abrirá mão de ter um jogador mais próximo da área nos esquemas 4-1-4-1 ou 4-2-3-1.

    A diretoria do Corinthians se irritou com as atuações de Emerson e Guerrero contra o Fluminense, dois dias depois de anunciar que eles não teriam os contratos renovados. O peruano perdeu uma chance incrível de gol no segundo tempo, enquanto Sheik entrou na etapa final e pouco fez para ajudar o Timão a deixar o Maracanã com a terceira vitória no Brasileirão.

    A participação deles no clássico deste domingo será decidida nesta quarta-feira, em reunião da diretoria com a comissão técnica. Heróis na Libertadores e no Mundial de Clubes de 2012, respectivamente, Emerson e Guerrero podem se despedir do clube pela porta dos fundos.

    Veja Também