Presidente do Corinthians revela que recusou duas propostas de fora por destaque da defesa

    O presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, revelou após a vitória por 2 a 0 do Corinthians sobre a Ponte Preta, na noite deste sábado (8 de julho), em Itaquera, que negou duas propostas feitas pelo lateral esquerdo Guilherme Arana, jogador mais cobiçado pelo mercado europeu no atual elenco. Sem revelar as agremiações (Bordeaux-FRA e CSKA-RUS são os dois que mantiveram contato recente pelo defensor), ele negou a saída de atletas do líder do Brasileiro.

    “O Corinthians recebeu duas propostas pelo Guilherme Arana. Não posso falar os times porque prometi não falar, mas negamos”, explicou o mandatário, mostrando-se bastante tranquilo e até sorridente para tratar do assunto, normalmente polêmico quando se trata da saída de nomes do clube.

    “O Corinthians não está comprando ninguém e não está vendendo ninguém. Tudo que se ouvir fora isso, é outra história. Não existe negociação, quer que fale outra fez? Por enquanto, no agora não existe negociação por nem um jogador”, continuou o dirigente, dizendo ser mais fácil manter o elenco em boa fase do que o contrário.

    Saiba mais:

    Guerrero tem 3 propostas

    Barça quer palmeirense já

    Juve acerta com brasileiro

    Além de Arana, o zagueiro Balbuena também foi alvo recente do Genoa-ITA, mas segue no grupo de atletas. “Muito pelo contrário, entendo o contrário, pelo fato de o time estar tão bem, o jogador vai ter menos vontade de sair. Tem gente que prefere ver o copo meio vazio, eu prefiro ver o copo meio cheio”, exaltou Roberto.

    Pedindo que os alvinegros se mantivessem tranquilos com os 32 pontos na liderança da competição, sendo nove deles de diferença para o atual vice-líder Flamengo (o Grêmio, que entra em campo neste domingo, contra o Avaí, pode retomar a posição se vencer), o mandatário ainda fez discurso de jogador para celebrar o momento.

    “Somando, jogo a jogo, três pontos, vamos indo. Campeonato Brasileiro é um dos mais difíceis do mundo, equilíbrio muito grande. Nove pontos de diferença, dois tropeços e um confronto direto já acaba com tudo isso. Então tem que se manter focado e o trabalho precisa ser feito como tem sido feito”, concluiu.

    Veja Também