Presidente vai contra, mas desafetos assumem camarote na Arena Corinthians

    • Reprodução

      Camarote de dois andares da Arena Corinthians foi aberto para torcedores

      Camarote de dois andares da Arena Corinthians foi aberto para torcedores

    O lançamento do camarote do Fiel Torcedor na Arena Corinthians ampliou, nos últimos dias, a tensão entre o presidente Roberto de Andrade e o Grupo Omni, parceiro do clube em uma série de projetos no estádio e no Parque São Jorge.

    À revelia de Roberto, que se mostrou contrário e inclusive manifestou sua posição por e-mail, a Omni assumiu um dos principais camarotes do estádio. O espaço passou por reforma antes de ser inaugurado no Campeonato Brasileiro. Ele ocupa dois andares da Arena e fica localizado próximo à bandeira de escanteio entre os setores Sul e Oeste. 

    A justificativa do presidente do Corinthians para que o camarote não fosse inaugurado dizia respeito a despesas no projeto. Essa posição foi reforçada pelo diretor financeiro Emerson Piovesan, que também era contrário. Ambos preferiam que o espaço fosse comercializado: ao mercado, o preço do camarote vinha sendo apresentado por aproximadamente R$ 1 milhão/ano pelo aluguel.

    A intenção da Omni em lançar o camarote para os torcedores mais assíduos está ligada à administração do programa Fiel Torcedor, feita pela empresa desde sua inauguração, há uma década. O mesmo grupo é responsável pelo acesso ao Parque São Jorge, pela operação e também administração do estacionamento, ambos da Arena Corinthians. Além disso, dá nome ao teatro do clube. 

    Ao longo de sua administração, o presidente Roberto de Andrade tentou, sem sucesso, diminuir a participação da Omni internamente. Ele tentou renegociar e rescindir o acordo referente ao Fiel Torcedor, que deixa em média 50% de seus rendimentos para a empresa. Recentemente, chegou a anunciar a rescisão do contrato para a operação do estacionamento, mas não teve sucesso – a Omni conseguiu manter o acordo válido.

    O ex-presidente Andrés Sanchez, por sua vez, defendeu a posição da Omni, segundo apurou a reportagem. As interferências de Roberto de Andrade em relação aos contratos citados acima estão entre os temas que ampliaram os atritos entre Andrade e Sanchez ao longo da atual administração.

    À reportagem, porém, Andrés negou participar da ocupação do camarote e disse que, se alugado, o espaço deverá ser pago ao Corinthians. Perguntas foram enviadas ao clube e à Omni, que não responderam até a publicação. 

    Veja Também

    Notícias do Corinthians

    Comments (4)

    1. Avatar
      Alexson Farias

      Esse Roberto de Andrade aparece com cada uma….Edtamos de olho em vc …Tem que popularizar mesmo …o Estádio é da Torcida…Não propriedade sua….cada uma…fique ligeiro !

    2. Avatar
      Jefferson Silva

      Isso mostra que ele não tem moral alguma no clube já q é a altoridade máxima da instituição

    3. Avatar
      Cesar França

      Camarote para quem não é modinha, melhor com torcedores de verdade, do que com sujeitos que só querem ver jogo quando o time passa por boa fase ou está jogando uma reta final de campeonato. SC Corinthians Paulista deveria rever os valores dos ingressos, e ter sempre a arena 100% cheia.

    4. Avatar
      Fielzinho

      Qisso é bom ou ruim ???

    Comments are closed.