Processado por contrabando, Sheik se diz inocente e quer focar no futebol

    Após o empate em 1 a 1 com o Guarani, sábado, no Pacaembu, o atacante Emerson Sheik afirmou que seu futebol não foi afetado pelo fato de estar respondendo a uma ação criminal por contrabando e lavagem de dinheiro na aquisição de um carro usado da marca BMW X-6, importado ilicitamente dos Estados Unidos. Além de Sheik, o volante Diguinho, do Fluminense, também virou réu no processo. O atacante diz ser inocente e que o caso tomou grande proporção pelo fato de ele ser uma pessoa pública.

    “O dito popular diz “quem não deve não teme”. Minha consciência está totalmente tranquila, tenho a certeza absoluta que não fiz nada. Eu fui enganado como muitos outros. Tenho tranquilidade para poder trabalhar, pegar meus filhos e levá-los ao shopping, ao restaurante e levar uma vida normal. Diguinho é meu amigo e foi tão enganado quanto eu”, disse Sheik.

    “Mais de 110 pessoas foram enganadas, mas sou o ‘Emerson Sheik que joga no Corinthians’, o Diguinho joga no Fluminense…”, emendou.

    Sheik disse ainda que vai fazer de tudo para reconquistar a vaga de titular do Timão.

    “Com respeito a quem está jogando, mas vou brigar pela titularidade como sempre foi na minha carreira. Futebol é momento, e o momento hoje é do Jorge Henrique e do Danilo. Vou respeitar, a competição é longa, o ano acabou de começar, mas tenho de brigar.”

    Reportagem: Globo Esporte

    Veja Também

    Notícias do Corinthians
    Notícias do Corinthians