Romerinho! Paraguaio do Timão deve ganhar chance contra o Guaraní

    Romarinho se tornou um dos maiores ídolos da torcida do Corinthians. E não foi pelos gols marcados contra o Palmeiras. Mesmo se ele não tivesse marcado tantos gols no Dérbi, a cavadinha na Bombonera que empatou o jogo contra o Boca Juniors (ARG) na primeira final da Libertadores-12 já teria sido o suficiente. Três anos depois, um novo herói improvável da Fiel pede passagem: Romero.

    Ainda é cedo, obviamente. O paraguaio sequer está confirmado na lista de jogadores relacionados para o jogo contra o Guaraní-PAR, nesta quarta-feira à noite, na Arena. Mas a trajetória do paraguaio nos dias que antecedem ao confronto com seus compatriotas remete – e muito –, ao que ocorreu há três anos.

    Recém-chegado do Bragantino e desconhecido do grande público, Romarinho e outros reservas enfrentaram o Palmeiras na véspera da viagem a Buenos Aires. O camisa 31 fez dois gols e garantiu um lugar na primeira viagem internacional da sua vida. Depois, sucesso…

    Romero estava sumido, sequer foi relacionado para os jogos da Libertadores e quase sempre foi banco da equipe reserva. Ao entrar no fim do segundo tempo contra o Cruzeiro, o camisa 33 marcou o gol da vitória e foi elogiado por Tite após o jogo.

    Além dessa postura, Romero é paraguaio e conhece bem os jogadores que estarão do outro lado, isso sem contar a rivalidade como ex-Cerro Porteño. Uma onda positiva que pode fazê-lo ganhar uma chance no banco contra o Guaraní e, quem sabe, tornar-se o herói.

    Nessa segunda, após a coletiva, a reportagem do LANCE! questionou Tite sobre a possibilidade de Romero ser um Romarinho versão 2015. O treinador respondeu: “Você sabe como trabalho, merecimento! Siga isso e terá minha resposta”.

    Pela persistência e profissionalismo desde janeiro, confiança pós-gol e conhecimento que tem do rival, Romero pode merecer.

    ROMARINHO EM 2012

    Timão 2×1 Palmeiras
    Em 24/6/2012, o Timão venceu o rival por 2 a 1, com dois gols de Romarinho, pelo Brasileirão.
    O Corinthians atuou com os reservas porque disputaria a final da Libertadores contra o Boca Juniors na Bombonera.

    Boca 1×1 Timão
    Três dias depois, Romarinho entrou aos 84’ da final da Libertadores, substituindo Danilo, e empatou o jogo aos 86’. O empate manteve a invencibilidade e empurrou o Timão para o título inédito.

    Veja Também