‘Secador’, Corinthians torcerá por ex-Timão que teve retorno vetado por presidente há um ano

    O confronto que encerrará a 31ª rodada do Campeonato Brasileiro pode colocar ainda mais fogo na disputa pelo título nacional. No Allianz Parque, o Palmeiras pode reduzir a vantagem do líder Corinthians a apenas três pontos, com um duelo direto entre os dois rivais marcado para o próximo domingo (05). Mas para isso, o Verdão precisará vencer o Cruzeiro dentro de casa. Se não derrotar a Raposa, o time comandado pelo técnico Alberto Valentim deixará para trás a chance de tomar a ponta do Brasileirão do maior rival dentro de Itaquera.

    Após o tropeço diante da Ponte Preta, no Estádio Moisés Lucarelli, o Corinthians terá que torcer para que o Cruzeiro arranque pontos do Palmeiras em São Paulo. O técnico do time celeste, entretanto, acumula uma história de amor e ódio com o Timão. Nome forte no mercado em 2016, quando Tite deixou o Corinthians para assumir a Seleção Brasileira, o treinador foi o único nome descartado por Roberto de Andrade entre os possíveis postulantes ao cargo no Parque São Jorge.

    Veja a programação ao vivo no FOX Sports

    “Mano Menezes não vem trabalhar comigo. Não quero, não é o perfil que eu gosto. Respeito o Mano Menezes, foi vencedor no Corinthians, mas quero novidade, quero outras coisas”, disse o presidente em junho de 2016.

    Contratado pelo então presidente Andrés Sanchez no fim de 2007 no projeto montado após a queda do Corinthians para a Série B do Campeonato Brasileiro, o treinador foi o responsável pela campanha que levou o clube novamente à elite nacional. Ainda à frente da equipe, Mano Menezes conquistou em 2009 os títulos do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil. No ano seguinte, o gaúcho deixou o Parque São Jorge para comandar a Seleção Brasileira, e o Timão ocupava a liderança do Brasileirão.

    Após passagem turbulenta pelo time nacional, Mano Menezes retornou ao Corinthians em 2014 para substituir Tite, campeão da Libertadores e do Mundial de Clubes em 2012. Contratado por Mário Gobbi, o treinador chegou para comandar o processo de renovação da equipe, mas sofreu com críticas da torcida no fim da temporada, diante dos resultados pouco expressivos.  

    (Crédito da imagem: Marco Galvão/Foto Arena)

    Veja Também