Tchê Tchê cita guerra e avisa Corinthians: “Vai precisar deixar o coração”

    • Cesar Greco/Ag. Palmeiras

      Tchê Tchê Palmeiras treino Academia de Futebol

      Tchê Tchê Palmeiras treino Academia de Futebol

    Invicto há quase um ano no Allianz Parque, o Palmeiras recebe o Corinthians nesta quarta-feira (12) em jogo que tem sido tratado com ares de final. Tchê Tchê destacou que o principal segredo para a invencibilidade é a vontade da equipe e falou em clima de guerra para o clássico.

    Em entrevista coletiva nesta terça-feira, véspera da partida, o volante afirmou que será muito difícil para os corintianos deixaram o estádio com três pontos. O Alvinegro ainda não perdeu neste Brasileirão.

    “Eles têm a invencibilidade deles e nós temos a nossa. Não vamos entrar em campo pensando que estamos há tantos jogos sem perder no Allianz. Vai ser uma guerra para o adversário. Independentemente de ser clássico, independentemente do adversário, quem jogar lá vai precisar deixar o coração lá dentro para nos vencer”, afirmou.

    “Não vai poder faltar garra, luta e é isso que temos todas as vezes. Somos os atuais campeões e os times têm jogado a vida contra a gente. Estamos em uma fase que as coisas não saem da maneira que treinamos às vezes, mas vamos entrar tranquilos”, completou.

    Nesta terça, Cuca não revelou qual será a equipe titular, mas demonstrou que terá os reforços de Guerra, Borja e Felipe Melo. Os dois primeiros têm chance de titularidade, enquanto que o volante deve ficar no banco de reservas.

    Tchê Tchê corria risco de ficar fora do jogo por causa da expulsão contra a Ponte Preta, mas o STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) não aumentou o gancho além da suspensão automática.

    O Allianz Parque deve chegar perto da casa dos 40 mil torcedores. Mais de 36 mil ingressos já tinham sido vendidos na última segunda-feira, dois dias antes do confronto.

    Veja Também

    Notícias do Corinthians

    Comments (1)

    1. Esse tipo de discurso de jogadores usando termos agressivos como esse de guerra não ajuda. Não traz nenhuma contribuição para um jogo de futebol onde a rivalidade por si só já é nitroglicerinica. Jogador de futebol tem de ter mais responsabilidade com as palavras, os torcedores são pacionais de mais. Para não dizer desequilibrados, alguns muito burros e outros muito mal intencionados. Não sabem dimensionar e compreender que isso é só futebol. É um jogo em que se ganha, perde ou empata. Mas em síntese é só um jogo e nada mais.ninguém tem que bater, apanhar ou morrer.

    Comments are closed.