Tite conversa com Malcom e cita ‘momento’ para explicar reserva

    Tite mede bem as palavras ao falar de jogadores individualmente, seja para elogiar ou criticar. Com Malcom, não é diferente. A maior promessa da base do Corinthians nos últimos anos é, hoje, a penúltima opção do treinador para o ataque – está acima apenas de Romero. Mesmo que nas entrelinhas, o técnico reconheceu que o garoto de 18 anos está abaixo de seus concorrentes.

    Antes do treino de segunda-feira, no CT Joaquim Grava, Tite foi ao encontro de Malcom para uma conversa rápida. O garoto vivia a expectativa de ocupar o lugar de Emerson, suspenso, mas acabou com os reservas. Luciano herdou a posição para enfrentar o Guaraní, nesta quarta-feira, às 19h45 (de Brasília), no Paraguai, pelas oitavas de final da Taça Libertadores.

    “Ficamos com opções, e aí o técnico mede o momento de cada um. Eu o chamei para conversar e disse que, daqui a pouco, o treinador decide a escalação por um detalhe ou outro. Começa o Luciano, mas ele precisa ficar atento porque a oportunidade pode seguir”, afirmou Tite.

    Promovido ao grupo profissional por Mano Menezes, Malcom chamou a atenção no segundo semestre de 2014 e despertou o interesse de algumas potências do futebol internacional. O atacante superou Luciano e Romero e se firmou como titular ao lado de Guerrero. Foram 25 partidas disputadas na temporada anterior e dois gols marcados.

    O ano de 2015, porém, não começou bem. Tite chegou a dizer que o atacante começaria como titular se não estivesse disputando o Sul-Americano sub-20 com a seleção brasileira. Na volta ao Timão, Emerson já era dono da vaga novamente e Emerson subia na avaliação do treinador. Para piorar, o garoto não conseguiu render como o treinador imaginou e só participou de partidas da equipe considerada reserva. Em 11 jogos, fez três gols.

    “Vamos ter cuidado para não ficar comparando. O Malcom foi utilizado esse ano, fez três gols…”, defendeu Tite.

    A pouca presença do atacante em 2015 gerou um atrito entre a diretoria e o empresário dele, Fernando Garcia. Há duas semanas, o agente se recusou a assinar a renovação de contrato. O problema só foi resolvido depois que o superintendente de futebol Andrés Sanchez, amigo do representante, esfriou o clima. O jogador ficará no Timão até o fim de 2019.

    Veja Também

    Notícias do Corinthians
    Notícias do Corinthians