Tite recusa celulares de torcedores e recorre a mímica para orientar

    Tite foi um torcedor no segundo tempo da partida contra o Vasco, nesta quarta, no Pacaembu. Expulso do banco, o técnico ficou no alambrado para dar instrução em meio à massa alvinegra. A sensação de técnico-torcedor não quer ser repetida por Tite, que diz ter recorrido à mímica para passar instrução aos jogadores.

    Com a intenção de apoiar Tite, torcedores ofereceram celulares para que o técnico passasse instrução aos jogadores.

    “Eu peguei o celular, mas era só para ver o tempo de jogo. Queria falar de outro jeito”, sorriu.
    O treinador foi expulso após reclamar por uma falta não assinalada pelo árbitro Leandro Vuaden em Paulinho. Tite foi para o alambrado, chegando próximo de Willian, se aquecendo atrás do gol, para dar ordens.
    “Eu só olhava o olho do Liedson, do Willian, e fazia sinal com a cabeça. Mesmo passando informação pelo rádio, não é a mesma coisa. Fico amarrado para passar instrução, mas fico impedido de passar informação melhor. Não quero mais. Se nós tomássemos gol do lado esquerdo eu não ia me perdoar”, disse.

    O treinador foi expulso após reclamar por uma falta não assinalada pelo árbitro Leandro Vuaden em Paulinho. Tite foi para o alambrado, chegando próximo de Willian, se aquecendo atrás do gol, para dar ordens.
    Da arquibancada, Tite viu o gol decisivo de Paulinho, que sacramentou a vitória do Corinthians por 1 a 0, resultado que assegurou o time nas semifinais da Libertadores. De longe, Tite pediu para Willian atuar aberto pelo lado direito.
    “Tu tens um nível de concentração que fecha para o barulho da torcida. O Willian me ouviu e viu que era para ficar na beirada”.

    Reportagem: UOL

    Veja Também

    Notícias do Corinthians