Tite reencontra Pacaembu pelo Timão após títulos e um emocionante adeus

    Corinthians, Pacaembu e Tite têm tudo a ver. Neste domingo, às 16h, pelo Paulistão, em clássico diante do Palmeiras, que será mandante do confronto, o técnico voltará a comandar a equipe alvinegra em um jogo no estádio municipal (na última sexta, ele treinou a equipe no local). Terão se passado 855 dias depois de um emocionante adeus, em novembro de 2013, na penúltima rodada do Campeonato Brasileiro, num empate sem gols contra o Internacional (relembre no vídeo acima).

    Técnico mais vitorioso da história corintiana, com seis títulos, o treinador deu volta olímpica após a partida, fez gestos de amor e reverência aos torcedores e ouviu daquelas arquibancadas pela última vez: “Olê olê olê olê. Tite, Tite”.

    Agora em sua terceira passagem pelo clube, que agora manda seus jogos na Arena Corinthians, o técnico guarda apenas lembranças da antiga casa do Timão, que sempre lhe foi favorável. Em 131 partidas no local, venceu 81, empatou 32 e perdeu outras 18, acumulando 69,9% de aproveitamento. Foram 214 gols marcados e 86 sofridos. Em 2016, na Arena, são 35 jogos e 84% de êxito.

    Dentre os momentos de maior alegria de Tite no Pacaembu, destaque para dois títulos: o Brasileirão de 2011, obtido após um empate sem gols contra o Palmeiras, e o da Taça Libertadores de 2012, na marcante vitória por 2 a 0 diante do Boca Juniors. Na sexta-feira, após o treino de reconhecimento do gramado dos jogadores, o técnico falou dos bons momentos:

    – Lembrei três momentos quando estávamos chegando ao Pacaembu (na última sexta, para o treino). Lembrei do jogo contra o Santos, pela Libertadores (empate por 1 a 1, na semifinal). Estava escuro do lado de fora, e os torcedores, como não sabiam quem estava no ônibus, que não era adesivado, começaram a nos hostilizar. O presidente gritou: “Acende para verem que somos nós”. Já quando entrei, veio aquela sensação inevitável da final da Libertadores. E a entrada do túnel me remete ao Brasileirão (2011), uma emoção particular em relação ao meu pai – disse ele, mostrando ter lembranças de cada cantinho do Pacaembu.

    Mas é claro que, em duas passagens mandando jogos no estádio (2004/2005 e 2010 a 2013), houve momentos ruins. O pior deles foi a eliminação para o Boca Junior em 2013, nas oitavas de final da Libertadores, após empate por 1 a 1, em jogo marcado por erros do árbitro paraguaio Carlos Amarilla contra o Timão, como dois pênaltis não marcados e um gol mal anulado. Situação que causou ira no técnico corintiano.

    A volta para casa, pelo menos no domingo, será como visitante. O Timão voltará a atuar no Pacaembu como mandante em agosto, enquanto a Arena será palco dos jogo do Rio 2016.

    Veja Também

    Comments (3)

    1. Avatar
      Csandier Csandier

      Nao foi nao

    2. Avatar
      Diego Renan Gonçalves Martins

      vai corinthians

    3. Avatar
      Henrique

      Se o água santa fez 4 hahaha…nois vamo matar a saudade do nosso grandioso e eterno Pacaembu fazendo no mínimo uns 7 kkkkkkk

    Comments are closed.