Torcedor com limitações físicas pagou viagem do irmão para poder ir ao Japão no Mundial de Clubes FIFA

    Nada descreve melhor o amor pelo Corinthians do que a sua própria torcida. O bando de loucos jamais mediu esforços para acompanhar o Timão onde ele for e seja lá qual o obstáculo encontrado no caminho. Uma dessas histórias tem como personagem principal William Truppel, torcedor fanático que superou limitações físicas para ver de perto o Alvinegro ser bicampeão mundial em 2012.

    “Sou cadeirante e tenho algumas limitações neuromotoras”, contou William. Apesar disso, foi às arquibancadas do Pacaembu ver a equipe conquistar a Conmebol Libertadores da América. No segundo jogo das quartas de final, contra o Vasco, colocou algo na cabeça após ver Paulinho marcar o gol da classificação.

    “Com o rosto cheio de lágrimas, disse ao amigo que me acompanhava naquela noite: ‘seremos campeões e eu vou ao Japão. Você, não sei, mas eu irei’. Para meu amigo, pareceu brincadeira, mero entusiasmo. Não foi”, disse ele.

    Devido à sua limitação física, viajar ao Japão sem acompanhante era inviável. Por isso, iniciou uma busca por um parceiro de viagem, mas sem sucesso. Foi então que no seu aniversário, apostou as suas últimas fichas.

    “Fiz um pedido especial aos meus amigos e familiares antes de cortar o bolo: gostaria de acompanhar o Timão no Mundial de Clubes. Supliquei. Em alto e bom som, disse ainda a todos que estavam na festa que, portanto, pagaria também as despesas daquele que se dispusesse a ir comigo ao outro lado do mundo”, contou o torcedor.

    “Na última semana de novembro, meu irmão Richard Truppel me diz que pediu para deixar a empresa onde trabalhava e que, então, poderia ir comigo ao Japão, caso eu pudesse mesmo arcar com os custos de toda a viagem”, concluiu William.

    Assim, ao lado de Richard e Gustavo Ornellas, amigo que resolveu encarar a aventura de última hora, rumou a Narita, no Japão, no dia 09 de dezembro.

    Durante a estadia, foi ao duelo contra o Al-Ahly, do Egito, nas semifinais, e diante do Chelsea, da Inglaterra, no jogo que colocou o Corinthians no topo do mundo. Para William, o fator determinante da conquista foi a invasão corinthiana ao outro lado do mundo.

    “Tenho convicção de que a invasão corinthiana ao Japão e o apoio incondicional da torcida foram determinantes para as vitórias do Time do Povo – identidade que, também, apresentamos do outro lado do mundo, inclusive para superar o poderoso Chelsea na finalíssima. Nossos gritos de incentivo, novamente, contribuíram para a conquista do título”, afirma o torcedor.

    Veja Também