Uendel exalta Pacaembu antes de breve adeus a Itaquera

    O Corinthians fará neste sábado, contra o Figueirense, às 16h (de Brasília), seu último jogo antes de dar um “breve adeus” ao estádio de Itaquera, que será cedido para a disputa dos Jogos Olímpicos durante o mês de agosto. Consciente da força alvinegra em sua casa, local onde possui mais de 80% de aproveitamento dos pontos, o lateral esquerdo Uendel preferiu exaltar o retorno ao Pacaembu do que lamentar a saída da Zona Leste.

    “Itaquera tem sido um grande aliado do Corinthians nos últimos anos, os números mostram isso, mas o clube também tem um bom relacionamento com o Pacaembu. Conquistas importantes. A torcida vai estar feliz de acompanhar os jogos lá, grande maioria dos atletas já jogaram lá. Vamos encarar com naturalidade”, comentou o defensor.

    “Estamos acostumados com Itaquera, mas nada que mude muito o nosso sentido do jogo”, continuou o jogador, que vê um triunfo no final de semana como imprescindível por conta da sequência posterior da equipe. Após os catarinenses, o Timão terá de encarar Internacional e Atlético-PR, fora de casa, Cruzeiro, no Pacaembu, Grêmio, em Porto Alegre, para só depois voltar à sua arena, contra o Vitória, no dia 20 de agosto.

    Mostrando conhecimento da montagem de equipe feita pelo técnico Argel, recém-contratado pelo Figueira, ele apostou em uma partida de muita posse de bola e tentativas de ataque do Timão, com os rivais sempre preparados para um contragolpe.

    “Talvez o jogo se mostre mais ofensivo para os laterais, talvez a equipe do Figueirense, até pelas características do treinador, seja um time que vai esperar mais e jogar no contra. Tem essa característica do contra-ataque para ficar esperto, mas o essencial sempre marcar bem no meio”, apontou.

    Para Uendel, os comandados de Cristóvão Borges também não mudaram seu desempenho por conta do desfalque de Fagner, suspenso, ou das possíveis entradas de Eias e André. Na avaliação do camisa 6, todo o elenco sabe se encaixar perfeitamente no sistema de jogo.

    “Trabalhamos o conceito de jogo, todas as situações dentro da partida. Marcação, saída de bola, tiro de meta, sem discriminação entre titulares e reservas. Então fica mais fácil quando precisa usar um jogador que não vem sendo usado. Pega o Elias, por exemplo, cara mais de infiltração. Bruno Henrique, mais pegada. Rodriguinho mais por trás. Cada um contribui da sua forma para o sistema”, concluiu.

    Veja Também

    Comments (4)

    1. Avatar
      Julio Cesar Balduino

      Vendo uns Comentários aqui , parece que tem torcedores Corinthianos com saudades da Época do Sofrimento , 23 Anos Sem ganhar nada , servindo de saco de pancada pra todo mundo …

      E ficam criticando Torcedores que querem o Pato …

      Se alguns Torcedores querem o Pato , é porque os Jogadores do Ataque do Corinthians são Fracos , eo Pato tem Qualidade .

      De que Adianta um Jogador que se joga no chão e da Carrinho o Jogo todo e sai de campo todo Sujo , Mas no final do jogo o Time sai Perdendo de 4 X 0

      Não se Ganha Jogo na Loucura …

      Alguém aí vê , Jogadores Do Barcelona ou Real Madri saírem de Campo com camisa suja ???

      Futebol se joga de pé …

      Todos os Clubes do Brasil querem o Pato , só o Corinthians que não …

      Porque o Dinheiro que contratou o Pato não Saiu do Bolso dos Dirigentes né , se tivesse saído , eles dariam Valor no Jogador …

    2. Avatar
      Alberto Levita

      sem duvidas a Arena os adversarios tremem na arena principalmente o sao paulo

    3. Avatar
      Hugo Sérgio Ramos

      Jardelly Sandes

    4. Avatar
      Douglas Diniz

      arena sem dúvida

    Comments are closed.