Um gol em um grande clássico que não acontece no estádio

    Virou popular: “Não é só um jogo!” De fato, não é.  A bola rola na grama, mas bem longe o jogo segue em disputas realmente dignas de grandes clássicos. O mercado oferece soluções para os times e aí as chuteiras dão lugar ao telefone e a caneta.

    Entram em campo os agentes, diretores e presidentes. São jogos duros, são disputas sérias, quem dá mais? Borja, era disputado. Gol do Palmeiras e festa pro colombiano na chegada. Everton Ribeiro era outro. São Paulo, Palmeiras, Flamengo, até quem não anunciou interesse também queria a contratação.

    Gol do Flamengo e o resultado? Festa no aeroporto. É a chance de o torcedor brincar com o amigo que torce pro rival preterido. É a alegria instantânea de uma verdadeira conquista.

    São muitos os exemplos, poderia ficar aqui enumerando casos. O chapéu que tem Dudu como nome…Mas o que importa é que essas comoções são legais, a bola move paixão, até mesmo quando ela não rola.

    Sim, definitivamente não é só um jogo!

    Veja Também