Vândalos do Cruz Azul tentam agredir torcedores corintianos

    Jogadores e membros da comissão técnica do Corinthians não foram os únicos alvos da violência de torcedores do Cruz Azul. Houve tentativa de agressão também a torcedores alvinegros que viajaram até o México.

    Cerca de 30 minutos antes o início da partida, que terminaria empatada sem gols, 40 brasileiros se dirigiam de ônibus ao Estádio Azul, quando o veículo foi recebido por pedradas na rua Tintoreto, em frente à Plaza México. Pedras essas que partiram das mãos de cerca de 40 membros da principal torcida uniformizada do clube mexicano.

    Mesmo com a tentativa de agressão e o vidro esquerdo do ônibus quebrado, a polícia não prendeu nenhum dos vândalos de acordo com os jornais mexicanos. Os corintianos, por sua vez, conseguiram chegar ao estádio e assitir ao terceiro jogo da equipe na Libertadores.

    Após a partida, houve uma espécie de intercâmbio de cerveja entre brasileiros e mexicanos. Da parte alta do estádio, os corintianos atiravam copos. Da parte baixa, os mexicanos faziam o mesmo para devolver a ‘gentileza’.

    “Vinha trazendo a torcida uniformizada (chamada no México de ‘porra’) do Corinthians quando fomos agredidos. Acho que meu prejuízo ficará em 20 mil pesos (cerca de R$ 3 mil)”, relatou o motorista Federico Valencia, em entrevista ao jornal Medio Tempo.

    O dono do ônibus garantiu que faria reclamação formal ao Ministério Público, que ficava a duas quadras de onde foi a agressão. Mas, de acordo com a reportagem, a Procuradoria Geral de Justiça não daria sequência ao caso por não haver detidos.

    “Isso que houve com os jogadores do Corinthians não é certo. Depois, quem viajará ao Brasil será eu e meus jogadores, eles (torcedores) ficaram aqui”, lamentou Enrique Meza, treinador do Cruz Azul, em entrevista coletiva após o jogo.

    Reportagem: Lance

    Veja Também

    Notícias do Corinthians
    Notícias do Corinthians