Zaga volta a falhar no alto, mas Corinthians atinge invencibilidade recorde

    Com oito gols sofridos em 17 rodadas, a defesa do Corinthians é a mais eficiente do Campeonato Brasileiro de 2017. Entretanto, o empate por 1 a 1 com o Flamengo, neste domingo (30), em Itaquera, mostrou um aspecto em que a zaga alvinegra é mais vulnerável: o gol de Réver, anotado aos 25min do segundo tempo, foi feito após bola aérea, expediente de nove das últimas 12 vezes em que os paulistas foram vazados na temporada. Isso só não foi suficiente para derrubar a invencibilidade do time comandado por Fabio Carille, que agora tem a maior série sem perder no início da competição nacional disputada por pontos corridos.

    O Corinthians de 2017 já sustentou a invencibilidade por 17 rodadas. Até este ano, o time que havia demorado mais tempo para registrar um placar adverso no Brasileiro por pontos corridos com 20 equipes havia sido o Flamengo de 2011 (16). A defesa dos paulistas passou incólume em 12 das 17 partidas do torneio nacional.

    O empate deste domingo também representou o 32º jogo consecutivo do Corinthians sem perder. Foram apenas dois reveses na temporada, e o último aconteceu no dia 19 de março – há 133 dias, portanto. Com isso, o time de 2017 se isolou como a segunda maior série invicta da história alvinegra. Agora, está atrás apenas das 37 partidas sem placares desfavoráveis em 1957.

    Em meio a tantos números favoráveis, porém, o gol de Réver expôs duas questões: a fragilidade alvinegra no jogo aéreo e o alto número de gols sofridos pelo Corinthians em Itaquera. Das oito vezes em que foi vazado no Brasileiro, o time paulista era mandante em seis (duas contra o São Paulo, duas contra o Atlético-PR, uma contra a Chapecoense e uma contra o Flamengo).

    O número de gols sofridos em casa tem relação direta com a concepção do Corinthians. Desde o início do ano, o time de Carille mostrou mais eficiência nos jogos em que pôde ser reativo e não precisou se expor.

    A questão da bola aérea, por outro lado, pode ser vista como “copo meio cheio” ou “copo meio vazio”. Numa perspectiva pessimista, esse tem sido um dos raros defeitos da defesa de Carille. Neste domingo, o gol de Réver aconteceu após escanteio cobrado da direita. Juan ganhou de cabeça e encontrou o companheiro de zaga livre para completar de voleio.

    O viés otimista é que o excesso de cruzamentos tem relação direta com o quanto a defesa do Corinthians é organizada e oferece poucos espaços pelo meio. “O Flamengo só conseguiu cruzar bolas na área. Foram muitas no segundo tempo, e em uma eles fizeram o gol. Nós conseguimos marcar direito, mas eles também têm mérito”, ponderou o atacante Jô neste domingo.

    O Corinthians chegou a 41 pontos e manteve a liderança do Campeonato Brasileiro. O time paulista está a 15 do Flamengo.

    Veja Também