Ainda sem sofrer gols, Cássio quebra recorde e já faz história no Corinthians

    Jogo a jogo, Cássio vai espantando a desconfiança e caindo nas graças da torcida do Corinthians. A cada boa atuação, cresce a esperança da Fiel e da diretoria de, finalmente, encontrar um “herdeiro” do ídolo Dida depois de uma década e mais de uma dezenas de tentativas. O início do gigante com a camisa alvinegra não poderia ser melhor. Mais que isso, é histórico. Em quase 102 anos de Timão, nunca um goleiro estreante ficou quatro partidas consecutivos sem sofrer gol.

    Ainda como terceira opção, Cássio jogou pela primeira vez pelo Corinthians no dia 28 de março de 2012, na vitória por 1 a 0 sobre o XV de Piracicaba, no Pacaembu, pelo Campeonato Paulista. As oportunidades só apareceram novamente quando Julio Cesar perdeu a vaga depois de falhar duas vezes na derrota para a Ponte Preta que culminou na eliminação no estadual, logo nas quartas de final.

    O “Frankenstein” venceu a disputa com Danilo Fernandes e assumiu a posição no mata-mata da Libertadores. Nas oitavas, diante do Emelec, fez defesas importantes no empate por 0 a 0, em Guayaquil, e na vitória por 3 a 0, no Pacaembu. Já na última quarta-feira, passou ileso mais uma vez na igualdade sem gols contra o Vasco, em São Januário, no primeiro duelo das quartas de final.

    Segundo o historiador Celso Unzelte, autor do Almanaque do Timão, o máximo que um goleiro estreante havia conseguido no Corinthians foram três partidas sem ser vazado. Curiosamente, o último deles foi Felipe, que foi quem mais conseguiu se aproximar da condição de ídolo da torcida após a saída de Dida. Em 2007, Felipe, hoje no Flamengo, não sofreu gols nas três primeiras partidas do Brasileirão: Juventude (1 a 0), Cruzeiro (3 a 0) e Atlético-MG (0 a 0). O primeiro veio na quarta rodada, contra o Santos (1 a 1) – mais tarde, o Alvinegro seria rebaixado.

    Somente outros dois goleiros atingiram a marca de três jogos sem serem superados. E faz tempo – foi na década de 20. O primeiro foi Xororó, em 1922, em confrontos válidos pelo Campeonato Paulista. Ele passou sem ser vazado contra Minas Gerais (4 a 0), A. A. Palmeiras (0 a 0) e São Bento (7 a 0), mas acabou vencido na derrota para o Palestra Itália (2 a 3).

    Em 1925, foi a vez de Moreno igualar a marca do antecessor em um amistoso contra o Braz (4 a 0) e nas partidas do estadual diante de Internacional de São Paulo (4 a 0) e Portuguesa (2 a 0). O primeiro gol sofrido por ele saiu também na quarta partida, na derrota para o São Bento (3 a 1), em amistoso.

    “Estou trabalhando bastante. As coisas estão acontecendo naturalmente, mas eu já vinha trabalhando para arrumar uma oportunidade e fazer isso tudo acontecer”, afirmou Cássio, de 24 anos.

    O bom rendimento dele coincide também com a boa fase de toda a defesa na Taça Libertadores. Em nove partidas, o Corinthians sofreu apenas dois gols – no empate contra o Táchira (1 a 1), na Venezuela, e na vitória sobre o Nacional (3 a 1), no Paraguai.

    Caso ele não sofra gols novamente no segundo jogo contra o Vasco, na próxima quarta-feira, às 21h50m, no Pacaembu, o Corinthians tem grandes chances de se classificar para as semifinais. O Timão avança com uma vitória por qualquer placar. Se o 0 a 0 do primeiro confronto for repetido, a decisão será nos pênaltis. Os cariocas ficam com a vaga se empatarem com gols.

    “O resultado foi bom para o Corinthians. Poderíamos ter feito um gol e até ganho a partida, mas o importante foi não perder. Vamos decidir em casa essa classificação.”

    Reportagem: Globo Esporte

    Veja Também

    Notícias do Corinthians