Após estudo, Corinthians mira 35 mil por jogo com ingressos mais baratos

    Mexer nos preços dos ingressos da Arena Corinthians não é tão simples. Por isso, o clube precisou de mais de um ano para detectar problemas e reduzir valores em três setores considerados mais caros no estádio – o resultado imediato foi o recorde de público em jogos do Corinthians.

    Contra o Cruzeiro, 41.014 torcedores compareceram ao local. Três dias depois, mesmo em desvantagem na Copa do Brasil diante do Santos, a arena teve 37.338 pagantes.

    A presença maciça em setores antes vazios é a parte visível de um estudo amplo de especialistas no assunto. Uma equipe comandada pelo gerente de planejamento da Arena, Thiago de Rose, foi responsável por apontar tendências e mostrar ao fundo gestor da arena que valia a pena tentar o reajuste nos preços.

    Com os novos valores nos setores Leste Superior, Oeste Inferior e Oeste Superior, a expectativa é de que a média de público aumente em cerca de 10%. Até o jogo contra o Santos, a média chegou a 32.086 pagantes por jogo na arena em 2015.

    “Quando fizemos esse estudo, imaginamos que o estádio não vai lotar em todos os jogos. Imaginamos uma média de 35 mil, 36 mil. Vamos ver como será até o fim do ano. Se continuar assim, não teria motivo para mudar alguma coisa. Tem de testar e ter paciência, mas até o fim do ano não dá para pensar em alterar nada”, afirmou Thiago de Rose.

    O gerente sabe que o desempenho do time também vai influenciar na presença de público, apesar de a eliminação na Copa do Brasil não apagar a liderança do Campeonato Brasileiro. E por isso entende que o próximo ano dará parâmetro ainda melhor.

    “Não tem como não vincular a presença de torcida ao desempenho do time, isso é muito forte no Brasil. Por mais que nossa torcida seja a mais fiel. Horário, desempenho, tudo influencia. O primeiro jogo foi prova de que pode dar certo. Em 2016 tem Campeonato Paulista, sabemos que a tendência é dar uma baixada. O Paulista é o verdadeiro teste”, analisou Thiago de Rose.

    Confira abaixo os principais pontos do estudo realizado na arena, explicados pelo gerente de planejamento:

    Faixa “intermediária” de preços
    – Notamos que o Leste Inferior, a R$ 80, e o Superior, a R$ 150, tinham uma diferença muito grande. Quando você abria a venda dos ingressos, acabava tudo até o Leste Inferior, enquanto o Superior não esgotava na maioria dos jogos. O Leste Superior tinha cerca de 65% de ocupação, entre 3.500 pessoas e 4.000 pessoas por jogo.

    Com a abertura do Oeste Superior, pensamos em “migrar” esse público de um setor a outro. Já temos essas pessoas dispostas a pagar R$ 150. Mas havia uma demanda que está fora do estádio. O público que já paga R$ 150 tem duas opções agora: o Oeste Superior a R$ 120 ou o Inferior a R$ 180. Quem estava “fora” do estádio entra pelo setor Leste. O pessoal do Leste Superior “migrou” para o prédio Oeste.

    Divisão mais clara dos setores
    – Outra medida importante foi a transferência das cadeiras corporativas. Esse produto não deslanchou no setor Oeste Superior. Com o oitavo andar pronto, passamos as cadeiras para lá, num espaço menor, mas mais aconchegante, com 600 lugares, um buffet, visão sensacional do campo. Liberamos o Oeste Superior inteiro para venda no Fiel Torcedor. Assim, os setores não ficam misturados. O movimento deu certo. Inauguramos o oitavo andar contra o Cruzeiro, e o retorno foi sensacional. Temos mais propostas para vender cadeiras corporativas.

    Pesquisa de satisfação
    – Fizemos uma pesquisa com os torcedores que vieram no jogo contra o Atlético-MG. Disparamos uma série de perguntas sobre a experiência na arena. A média geral da experiência foi de 8,6, numa escala de zero a 10. Perguntamos quais atrativos fariam o torcedor chegar antes, e do que ele sente falta no estádio. Falaram muito em restaurantes, atividades pré-jogo e interação no telão. Estamos trabalhando para melhorar nisso. Fizemos exibição do documentário da Libertadores antes de dois jogos, há muito espaço para ideias.

    Pacotes de ingressos
    – É muito importante o lançamento de pacotes de jogos, sempre damos mais descontos para quem compra ingressos para três jogos de uma vez. Estamos colocando mais coisas novas dentro do estádio. No segundo turno do Brasileiro, devemos vender de três em três. No futuro, a ideia é um pacote maior para o campeonato inteiro.

    O único espaço “vazio”
    – O desafio é também ocupar as cadeiras centrais do setor Oeste Inferior, que são cativas. O plano “Minha Nação” do Fiel Torcedor depende de o torcedor entrar e se associar. É a cadeira cativa, ele paga um valor por ano e a cada jogo ele precisa comprar o ingresso por R$ 50. A cadeira é dele, ele vem quando quiser. Temos cerca de 1.700 cadeiras no total, metade está vendida.

    Veja Também

    Comments (6)

    1. Avatar
      Robson Greyck Vendrami Greyck Vendrami

      Corinthians está entre os 5 times melhores do planeta CHUPA ANTIS

    2. Avatar
      Santoss S Girdinho

      Vai Corinthians

    3. Avatar
      Cesar França

      Se for pra ver time reserva sem vontade no campo, entregando jogo, prefiro gastar R$80 com churrasco em casa. Diretoria medíocre.

    4. Avatar
      Darlen Lopes

      Pra que servi de palhaço e perde pros maiores rivais e mais em decisoes

    5. Avatar
      Joao Victor Fonseca

      ta pouco ainda!

    6. Avatar
      Cristian Caetano

      Mas vai ter time bom ou aquela bosta que jogou contra as sardinhas??? a nação corintiana merece um pedido de desculpa por parte da diretoria e comissão técnica, pois ate entao so sabíamos do Jadson e chega no jogo, ganha,mos mais tres desfalques, foi ridículo o que fizeram…

    Comments are closed.